Facebook despede 60 colaboradores escolhidos aleatoriamente pelo algoritmo

Rui Bacelar
Comentar

A Meta, empresa detentora do Facebook, à semelhança de outras empresas tecnológicas, está a reduzir custos de operação. Com efeito, tal como a Apple fez recentemente, despedindo mais de 100 recrutadores, também a casa-mãe do Facebook seguiu a mesma via. Porém, fê-lo com recurso a uma seleção aleatória onde os seres humanos foram selecionados pelo algoritmo de IA.

Importa notar que estes despedimentos não foram baseados em maus resultados, ou incapacidade de atingir os objetivos traçados pela empresa norte-americana. Ou seja, entre colaboradores igualmente competentes, a difícil decisão de escolher 60 pessoas com o intuito de cessar o vínculo contratual terá recaído sobre a Inteligência Artificial.

Despedimentos via videoconferência com seleção feita pelo algoritmo da Meta

When it comes to firing Facebook workers: it’s complicated. #Facebook lays off 60 contractors by Metaverse algorithm. Just because it’s Meta, doesn’t make it better. #MoMetaBlues https://t.co/mlPU8YMLsz via @MailOnline

— John Burnett (@IamJohnBurnett) 19 de agosto de 2022

Esta onda de despedimentos entre as Big Tech tem causado ondas em Silicon Valley. A propósito, recordamos os despedimentos em massa em empresas como a Microsoft, Amazon, Oracle, bem como a Tesla e a supracitada Meta. Agora, de acordo com o relato do Insider, cerca de 60 funcionários da Accenture serão afetados pela decisão em causa.

Note-se que a empresa Accenture está envolvida com a gestão de moderadores do Facebook e supervisores de conteúdo, bem como de outros contratados. Para estes infelizes colaboradores, a escolha recaiu num dos algoritmos do Metaverse.

Esta medida surge semanas após Mark Zuckerberg ter prometido "eliminar as ineficiências" da sua empresa. Porém, a escolha destes colaboradores terá sido "ao acaso", de acordo com a fonte supracitada.

Vaga de despedimentos em massa afeta as Big Tech de Silicon Valley

“Mark Zuckerberg has warned staff Facebook will be 'turning up the heat' to weed out underperformers who don't meet certain KPIs …. he thinks some employees might decide to leave on their own. That's bad leadership.” https://t.co/07AhWioV8g pic.twitter.com/mBu4ss2kgO

— Stephen Buehler (@sbuehler) 21 de julho de 2022

A fonte em questão refere que a estes colaboradores não foi oferecido um emprego alternativo pela Accenture. No entanto, ter-lhe-á sido dito que poderiam recandidatar-se a qualquer nova vaga de emprego disponível no espaço de duas semanas.

Em suma, apesar de esta vaga de despedimentos não surpreender, tendo em consideração as declarações prévias de Mark Zuckerberg, a escolha dos 60 colaboradores foi deveras peculiar.

Será este o início de uma nova tendência na gestão de recursos humanos em Silicon Valley e, posteriormente, no resto do mundo?

Editores 4gnews recomendam:

Rui Bacelar
Rui Bacelar
Na escrita e comunicação repousa o gosto, nas leis a formação. Ocupa-se com as novidades de tecnologia na 4gnews. Email: ruifbacelar@gmail.com