Este smartphone da Xiaomi não é o melhor se queres boa bateria

Bruno Coelho
Comentar

Existem smartphones onde um dos grandes focos é a autonomia. Abdicando da componente estética, as marcas acabam por colocar-lhes baterias mais generosas. Outros colocam a componente estética acima disso, e não chegam com a autonomia que seria mais desejada.

Esse é o caso do Xiaomi Mi 11 Lite 5G. O gama-média lançado em 2021 é um dos smartphones mais leves e esteticamente aprazíveis que encontras no mercado. Mas tal como revelam os testes da DxOMark, a sua autonomia está longe de ser a melhor.

O terminal conta com uma bateria de 4250mAh e carregamento de 33W. Alcançou uma pontuação de geral de 67 pontos, considerada apenas competente no teste. No ranking global fica com um discreto 28.º lugar.

Pontuação de bateria do Xiaomi Mi 11 Lite 5G na DxOMark
Pontuação de bateria do Xiaomi Mi 11 Lite 5G na DxOMark

Os números gerais revelam que tem uma autonomia capaz de chegar a dois dias e seis horas. Mas a fonte refere que tal só é possível se existir um uso moderado. Em uso intensivo não tem autonomia para o dia inteiro.

Consegue atingir 60% do carregamento em 30 minutos, mas demora uma hora e 14 minutos a carregar na totalidade. Algo que acaba por ser melhor que concorrentes da Samsung, mas pior que os da Oppo.

Pontos fortes do Xiaomi Mi 11 Lite 5G

  • Mais de dois dias de autonomia com uso moderado
  • Atinge 60% de carga em 30 minutos

Pontos fracos do Xiaomi Mi 11 Lite 5G

  • Os últimos 10% de bateria perdem-se mais rápido do que o esperado
  • Pobre autonomia quando se faz streaming de vídeo ou música via 4G

Segundo a DxOMark, se privilegias estética e ter um smartphone leve, o Mi 11 Lite 5G até pode ser um bom smartphone para ti. Mas se procuras a melhor autonomia, tens de te virar para outras opções.

Editores 4gnews recomendam:

Bruno Coelho
Bruno Coelho
Vive entre a paixão pela escrita, a música e a tecnologia. Licenciou-se em Ciências da Comunicação na Universidade da Beira Interior em 2015, e fez parte da equipa que fundou o Jornal de Belmonte. Produziu vários podcasts independentes pelo caminho. Come especificações ao pequeno-almoço.