Estas três marcas podem lançar os smartphones para o patamar dos 200 megapixéis

Mónica Marques
Comentar

A evolução nos componentes dos smartphones ocorre a um ritmo acelerado e se há alguns anos, um sensor de 16 megapixéis era considerado de topo, atualmente existem já modelos a exibirem câmaras de 108 megapixéis.

Mas ainda durante este ano vai ser dado mais um passo de gigante neste campo, com três fabricantes distintos a apresentarem smartphones com nada mais nada menos que 200 megapixéis de resolução. Curiosos?

Ainda em 2022 vão ser lançados smartphones com uma resolução de 200 megapixéis

Desde há alguns anos que é bastante visível a aposta das fabricantes de smartphones nos atributos fotográficos dos novos modelos. Na realidade, as marcas estão a responder às necessidades mostradas pelo mercado que, cada vez mais, indicam o desejo dos utilizadores por um maior número de megapixéis nas câmaras integradas nos smartphones.

A razão para isso acontecer é simples: atualmente os smartphones são as câmaras fotográficas mais utilizadas, a nível global. Por esse motivo, os utilizadores procuram modelos com melhores atributos fotográficos que forneçam imagens com qualidade superior.

E se em outros tempos, uma única câmara de 16 megapixéis era considerada uma especificação de topo, agora existem vários smartphones que incluem não só mais que um sensor no seu painel traseiro, como alguns desses sensores fornecem já uma resolução de 108 megapixéis.

Motorola pode ser a primeira marca a apresentar um smartphone com um sensor de 200 megapixéis de resolução

Mas parece que ainda durante este ano, o desejo por mais megapixéis vai ser mais uma vez concretizado, com pelo menos três fabricantes a terem no seu cronograma de lançamentos smartphones com 200 megapixéis de resolução.

Ao que tudo indica, a primeira marca será a Motorola com o seu modelo agora conhecido por Frontier. Segundo vários rumores a circular no mundo Web, este terminal vai estar equipado com o sensor Samsung ISOCELL HP1 de 200 megapixéis.

Para termos uma ideia da qualidade deste sensor, é preciso esclarecer que este em ambiente com baixa luminosidade consegue gerar provas de 50 megapixéis. Mas aparentemente a Motorola não se vai ficar apenas por esta grande novidade com o Frontier.

Recentemente, foi também revelado que o modelo pode ter aos comandos o processador Snapdragon 8 Gen 1 Plus, que será o sucessor do último chip lançado pela Qualcomm e que, baseado no processo de 4nm da TSMC, vai superar o desempenho do seu antecessor.

Xiaomi e Samsung podem também seguir para a marca dos 200 megapixéis

As outras duas marcas que podem também brindar-nos este ano com super smartphones fotográficas vêm igualmente do continente asiático, mas de países distintos. Falamos da chinesa Xiaomi e da sul-coreana Samsung.

Aliás, esta última produziu um dos sensores já entregues aos fabricantes e que se situa na marca dos 200 megapixéis. Mas como habitualmente não será a primeira a chegar ao mercado com a sua própria tecnologia.

Ao que tudo indica, a Samsung poderá equipar a sua próxima série de smartphones Galaxy S23 com o seu sensor de 200 megapixéis. Mas a nova linha premium da sul-coreana só vai chegar em 2023, possivelmente no primeiro trimestre do ano.

Antes disso, a chinesa Xiaomi poderá adiantar-se e apresentar o seu primeiro modelo com duas centenas de megapixéis. Os vários rumores a circular no mundo Web sugerem que o Xiaomi Mix 5 venha equipado com o sensor Omnivision OVBOB de 200 megapixéis e que seja lançado ainda durante o ano de 2022.

Depois de estas três marcas lançarem no mercado estes modelos, espera-se que os restantes fabricantes de smartphones sigam pelo mesmo caminho. Aliás, até há quem diga que a própria Apple vai dar um salto grande nos megapixéis fornecidos no seu próximo iPhone 14.

Editores 4gnews recomendam:

  • Xiaomi: desvendados atributos fotográficos do Redmi K50 Gaming Edition
  • Revelados todos os segredos das câmaras do Realme 9 Pro+
  • Samsung Galaxy S22: será que resiste ao tradicional teste de resistência?
Mónica Marques
Mónica Marques
Como jornalista de tecnologia assistiu à chegada do 3G e outros eventos igualmente inovadores no mundo hi-tech ao longo de mais de 20 anos de carreira.