Estás ansioso pelo Xiaomi Mi A4? Então temos péssimas notícias para ti!

Carlos Oliveira
3 comentários

Se és daqueles que estava inquieto pela ausência de notícias relativas ao Xiaomi Mi A4, então já deves estar à espera daquilo que hoje foi confirmado. A Xiaomi anunciou oficialmente que desistiu da iniciativa Android One.

A consequência imediata desta decisão da empresa chinesa é que o Xiaomi Mi A4 não será lançado. Ou seja, daqui em diante, apenas veremos smartphones da Xiaomi com MIUI.

Linha Mi A era perfeita para os amantes do Android puro

Há muita gente por esse mundo que não se identifica com as personalizações que existem para o Android, nomeadamente a MIUI. Para esses, a linha Mi A, da Xiaomi, era uma das melhores opções, pois oferecia Android puro a um preço acessível.

Mi A3

Por razões que são desconhecidas, tal já não está mais nos planos da tecnológica chinesa. Provavelmente nunca viremos a saber o que motivou esta decisão, mas os problemas recentes com a distribuição de atualizações no Mi A3 podem ajudar a explicar a decisão.

Com a desistência da Xiaomi deste programa, são cada vez menos as opções para quem procura um smartphone com uma interface muito semelhante à de um Pixel. A Motorola também começa a distanciar-se um pouco do Android One, restando apenas a Nokia com uma aposta oficial no programa da Google.

É uma pena que a Xiaomi tenha abdicado deste programa. A qualidade dos seus equipamentos, aliada a um software simples e com promessa de atualizações atempadas fazia destes modelos uma das melhores apostas no mercado dos gama média.

Infelizmente, as atualizações já não eram tão céleres como antes, isto para não falar nos constantes problemas. Com a Xiaomi a melhorar cada vez mais a sua política interna de atualizações, parece que deixou de haver espaço para o Android One.

Antes de ires, descobre os melhores telemóveis Xiaomi, todos disponíveis em Portugal.

Editores 4gnews recomendam:

Carlos Oliveira
Carlos Oliveira
Tendo já passado por várias casas, a 4gnews é aquela que me segura desde 2015. Com um desejo insaciável de me manter atualizado tecnologicamente, a partilha desse conhecimento é apenas o seguimento natural das coisas.