Esperemos que o próximo smartphone topo de gama da Google não seja assim

Filipe Alves
Comentar

A Google está prestes a revelar um novo smartphone. Já há muito que se fala no Google Pixel 5 e as informações tem revelado pormenores concretos.

Temos ideia que teremos um topo de gama, porém, que não chegará com o mais recente processador da Qualcomm. Ou seja, no que toca a potência, terá um desempenho fantástico mas inferior aos smartphones lançados em meados de 2020 com o novo chip da Qualcomm.

Eis o protótipo do Google Pixel 5, o próximo smartphone topo de gama da Google

Google Pixel protótipo

Esta imagem mostra-nos um alegado protótipo da Google e do Google Pixel 5. Podemos ver que o smartphone tem traços Google e que até condiz com algumas fugas de informação.

Porém, não podemos deixar de olhar para este smartphone com tristeza. Isto porque está bem longe daquilo que outros topos de gama estão a fazer neste momento.

Depois de vermos um elegante Galaxy S20 ou até os rumores do novo iPhone 12, este Google Pixel 5 inspira-se no primeiro modelo do Pixel com dois materiais de construção diferentes na traseira.

A parte inferior parece ser de vidro, que daria a possibilidade de carregamento sem fios. Já a parte superior é de metal (ou vidro fusco). Além disso, temos o sensor biométrico na traseira e não no ecrã.

Google está a falhar no design dos smartphones

Google Pixel 5

Este não é um mau smartphone se fosse um dispositivo intermediário. Porém, espera-se que seja o "carro chefe" da Google no próximo ano. Ou seja, quando comparamos a outros equipamentos no mercado, este alegado Google Pixel 5 está longe de ser cativante.

Aliás, mesmo comparado com outros intermediários. O OnePlus Nord e (qualquer outro) smartphone Xiaomi tem um design mais vanguardista que este dispositivo da Google.

Esperemos estar errados e que este seja um protótipo que nunca passou disso mesmo.

Editores 4gnews recomendam:

Filipe Alves
Filipe Alves
Fundador do projeto 4gnews e desde cedo apaixonado pela tecnologia. A trabalhar na área desde 2009 com passagens pela MEO, Fnac e CarphoneWarehouse (UK). Foi aí que ganhou a experiência que necessitava para entender as necessidades tecnológicas dos utilizadores.