Do primeiro iPhone ao último! Um vídeo que nos mostra as grandes diferenças!

Filipe Alves
Comentar

Foi em 2007 que a Apple revolucionou o mercado mobile ao apresentar o seu primeiro iPhone. Ainda que nos olhos de hoje seja um fraco equipamento, para a altura de lançamento era um passo revolucionário.

Uma evolução tão significativa que a maior parte dos fabricantes seguiram a ideologia de design. Aliás, quem não o fez, como a BlackBerry e Palm, acabaram por não se conseguir vingar no segmento.

O vídeo de MKBHD mostra-nos as diferenças

Para todos aqueles que não veem as evoluções de um ano para o outro e dizem que "são todos iguais", eis aqui um vídeo que nos dá 12 anos de diferença.

Apple iPhone

O primeiro iPhone só tinha uma câmara traseira de 2MP e um "grande" ecrã (para a altura) de 3.5" polegadas. É interessante ver que a nível estático a Apple tem continuado com as mesmas linhas. Só no iPhone X é que a empresa de Cupertino retirou o botão Home que foi apresentado no primeiro iPhone.

O sistema não está assim tão diferente

Às vezes vemos vídeos onde vemos uma criança a mexer em tecnologia antiga e não faz ideia do que se trata. Contudo, este terminal não é assim tão diferente dos do dia de hoje. Falando claro a nível de software.

O iOS é provavelmente o sistema que menos mudou. Temos claras evoluções de design, contudo, as restrições da Apple a nível de design, possibilidades continua a mesma.

Um iPhone é feito para ser utilizado como a Apple quer. Por exemplo, não há forma de conseguir modificar as ordens dos ícones. Sempre foi assim e não vejo a mentalidade a mudar.

Este é um vídeo engraçado de se ver e acredito que vás gostar de ver as diferenças entre os dois modelos. Uma evolução interessante que nos deixa com nostalgia do passado.

Editores 4gnews recomendam:

Comentar
Filipe Alves
Filipe Alves
Fundador do projeto 4gnews e desde cedo apaixonado pela tecnologia. A trabalhar na área desde 2009 com passagens pela MEO, Fnac e CarphoneWarehouse (UK). Foi aí que ganhou a experiência que necessitava para entender as necessidades tecnológicas dos utilizadores.