Análise / Review ao Huawei Mate 8

Rui Bacelar

A Huawei começou o ano de 2016 com um claro objectivo, assegurar a sua posição no topo do mercado e nada melhor do que um novo topo de gama para solidificar a sua posição. OHuawei Mate 8 é uma máquina de trabalho e o sucessor do Huawei Mate 7.

Unboxing e Primeiras Impressões:

Um topo de gama com toda a pompa e circunstância

A sua caixa é extremamente bem concebida e nada foi deixado ao acaso. Desde a textura dos materiais, às cores, brilhos e realces das letras. A experiência de unboxing dificilmente poderia ser mais gratificante com cada acessório no seu respectivo envelope, além de termos uma capa de protecção rígida incluída e uma película, em plástico, já aplicada no ecrã do dispositivo.

Na caixa encontrarás:

  • Huawei Mate 8
  • Carregador USB
  • Cabo USB
  • Earphones
  • Capa rígida (transparente) de protecção
  • Película de plástico para o ecrã (já aplicada)
  • Manuais, guias e informações legais

Design e Qualidade de Construção

Vamos diretos ao assunto, a Huawei consegue dar-nos a mesma qualidade de construção que vimos pela primeira vez nos smartphones metálicos da HTC. Com uma construção inteiramente metálica, com as devidas excepções (recortes para as antenas). O seu painel traseiro é muito robusto e tem uma ligeira curvatura que o torna muito mais ergonómico e quase confortável de utilizar com uma só mão.

O seu painel frontal é irresistível com um enorme ecrã de 6 polegadas e umas margens minúsculas que também conseguem ser graciosas com o seu revestimento em vidro Gorilla Glass 4. Além disso, as suas arestas deixam-nos sentir e contemplar o alumínio da sua estrutura e os pormenores de construção.

O Huawei Mate 8 não foi, de maneira alguma, concebido para ser utilizado com uma só mão mas graças ao seu design, à distribuição equilibrada do peso e às margens minúsculas, ele nem parece assim tão grande na mão, já no bolso a história é outra. No entanto, para o seu tamanho é um dispositivo muito elegante e arriscaria dizer, ergonómico.

Equilíbrio perfeito entre robustez, elegância e tamanho

Ecrã

O Mate 8 traz um ecrã de 6 polegadas IPS LCD com uma resolução Full-HD 1080p, o que resulta numa densidade de 367ppi ou pixels por polegadas (quanto maior for este valor maior será a definição dos conteúdos apresentados no ecrã). A experiência de visualização é boa e não terás qualquer queixa ao ver textos e muito menos quando estás no YouTube ou a jogar algum título no teu Huawei Mate 8.

Em termos de brilho o Mate 8 é excelente e isto faz toda a diferença quando estamos a utilizar este phablet ao ar livre. Além disso, o seu mecanismo de luminosidade automática funciona bastante bem e ajusta o seu brilho de forma muito rápida, gradual e eficaz.

Na reprodução de cores encontrei algumas falhas, ou melhor, imperfeições neste smartphone. Se, por um lado, algumas cores estão bastante saturadas, até em demasia, temos outras que ficam com um ar algo diluído e com pouca força. Há aqui um desequilíbrio na reprodução de certos tons o que resulta numa reprodução não muito fiel ou neutra das cores neste Mate 8.

Um grande ecrã para desfrutares dos seus conteúdos

Desempenho e especificações

O Huawei Mate 8 é um deles!

Utilizei a versão com 3GB de RAM e 32GB de memória interna mas também poderão optar pela variante com 4GB de RAM e 64GB de armazenamento.

As suas especificações técnicas:

  • Ecrã de 6 polegadas IPS LCD protegido por Gorilla Glass 4
  • Resolução Full-HD 1080p com 367ppi
  • Processador Kirin 950, octa-core com 4 núcleos a 2.3GHz e 4 núcleos a 1.8Ghz
  • 3 ou 4GB de memória RAM
  • 32 ou 64GB de armazenamento interno expansível via microSD
  • Bateria de 4000mAh
  • Android 6.0 Marshmallow com a EMUI

Escusado será dizer que a sua fluidez é impecável e a velocidade a abrir aplicações é irrepreensível. Além disso, qualquer jogo mais pesado ou aplicação exigente não são problema para este processador Kirin 950. Sinceramente fiquei positivamente surpreendido com este processador desenvolvido pela própria Huawei.

O Kirin 950 é um processador prodigioso

A nível de software o Huawei Mate 8.

O multi-window é rudimentar e praticamente inexistente

Isto pode parecer irrelevante mas se olharmos para a concorrência (TouchWiz UI) em que podemos abrir duas aplicações relevantes como o YouTube e Facebook ou Gmail ao mesmo tempo, a abordagem da Huawei a esta funcionalidade é rudimentar na melhor das hipóteses e aqui fiquei desiludido. Uma UI tão abrangente que, no entanto, falha em áreas fundamentais!

Esta interface precisa de ser limpa, simplificada em muitos aspectos e reforçada em certas áreas-chave como o multi-tasking para retirar-mos mais produtividade deste ecrã. No entanto eu ainda tenho esperanças de que isto possa acontecer, desde logo porque esta foi a marca que concebeu o Nexus 6P com Android puro, portanto podem ir lá buscar umas quantas ideias! Além disso, durante o período em que o utilizei recebi 2 actualizações de software, sinal de que a marca está a tentar corrigir estas imperfeições. Por último, a qualidade de chamada é boa mas a claridade das vozes podia ser bem melhor apesar de termos bastante volume.

As câmaras do Huawei Mate 8:

Com uma câmara frontal de 8MP e uma câmara traseira de 16MP, o Vê, aqui, todas as fotos capturadas com o Huawei Mate 8 em alta-resolução.

Esta câmara fotográfica possui um mecanismo de estabilização óptica da imagem (OIS) e uma interface das mais completas que já vi. Se és um adepto de personalização e gostas de definir vários parâmetros ao capturar fotos, esta é a UI perfeita para ti! Não deixa de ser intuitiva e simples de usar mas, assim que acedemos às definições da câmara temos uma enorme panóplia de ajustes e acertos tanto para foto como para vídeo.

Uma câmara de 16MP que ficou aquém das expectativas

Vê também: Análise / Review ao Huawei Nexus 6P

Autonomia de Bateria:

Com uma silhueta tão elegante até custa a crer que o Huawei Mate 8 chega ao fim do dia com 30 a 40% de carga, números muito bons e que reflectem a eficaz gestão de energia do seu processador Kirin 950.

Conclusão:

Com um preço que ronda os 650€ no mercado português, o novo topo de gama da Huawei prima pela qualidade de construção, pelo grande ecrã e margens muito pequenas, a sua bateria é exemplar e um grande ponto forte. Sem esquecer a sua performance que é impecavelmente fluida e rápida em qualquer cenário e o seu leitor de impressões digitais é, muito provavelmente, o melhor que já testei.

Este é o mais recente e um dos melhores, senão mesmo o melhor smartphone da Huawei. Quase perfeito, à excepção da sua interface (UI) e da sua câmara cujos resultados reflectem a necessidade de melhoria em todo o software de processamento de imagem, passo a explicar:

Os seus pontos menos fortes são, porventura, o seu software e interface. A EMUI 4.0 é graciosa mas pesada e em certos aspectos não é propriamente útil. O seu multi-tasking é rudimentar na melhor das hipóteses e, regra geral, toda a UI deveria ser simplificada. A sua câmara padece do mesmo mal, a optimização de software da câmara ainda precisa de muito trabalho, os seus 16MP com OIS e abertura focal f/2.0 são impressionantes mas, no final, o software de processamento de imagem dá-nos uns resultados algo medíocres em certos cenários.

Em suma, tudo o que a Huawei tem a fazer é "descomplicar" a sua interface, apostando no multi-window e multi-tasking mas simplificando tudo o resto. Sem esquecer o software da câmara que ainda está algo cru e, pelo menos para já, os resultados da sua câmara ficam aquém da concorrência.

Dentro do mesmo escalão de preços também poderás estar interessado no Huawei Nexus 6P, o meu smartphone favorito até ao momento.

Talvez queiras ver:
  • Análise ao OnePlus X: O melhor smartphone por menos de 300€
  • BQ Aquaris X5 Cyanogen – Análise em Português
  • Xiaomi Redmi Note 3 | Review / Análise Português | O gama média de construção única

Análise em Vídeo:

Galeria de fotos do Huawei Mate 8

Rui Bacelar
Rui Bacelar
Na escrita e comunicação repousa o gosto, nas leis a formação. É na tecnologia que encontrou o seu expoente máximo e na 4gnews a plataforma ideal para a redação e produção de vídeo.