Altice Labs: dona da MEO volta a revolucionar redes de fibra ótica

Bruno Coelho
Comentar

Quando falamos de inovação nas redes de fibra ótica em Portugal, há um nome que nos vem imediatamente à cabeça. Falamos claro da dona da MEO, a Altice, que continua a dar cartas lá fora.

Durante o mais recente BroadBand World Forum, em Amesterdão, a Altice Labs lançou a sua mais recente inovação tecnológica. Trata-se de uma estreia a nível mundial, e chama-se Small Factor Pluggable duplo (SFP duplo).

Segundo refere a Altice Portugal em comunicado, “esta solução irá revolucionar a forma como as redes de fibra ótica são implementadas ao permitir a duplicação da sua capacidade, possibilitando assim servir o dobro dos clientes”.

Este trata-se de um conector eletro-ótico, do tamanho de um dedo, que é ligado ao equipamento central de onde parte a fibra ótica que liga os lares dos clientes a esta tecnologia. Pelo facto de ser duplo, permite ligar duas fibras óticas no mesmo porto do equipamento central.

Nova tecnologia da Altice Labs pode duplicar clientes ligados sem aumento de equipamentos

“Através desta pequena, mas significativa alteração de interface é possível duplicar os clientes que podem estar ligados por fibra ótica, mantendo inalterados os equipamentos disponíveis nas nossas casas, uma vez que esta modificação é totalmente compatível com os routers atuais”, esclarece a operadora.

Este vai converter sinais elétricos, e transforma-os em sinais óticos. Pode ser adaptado à tecnologia atual de fibra ótica, com largura de banda de download de 2,5 GB/segundo e upload de 1,25 GB/seg em cada fibra ótica.

Poderá ainda ser adaptada à tecnologia mais recente, onde se vislumbram larguras de banda de 10 GB/seg simétricas, tanto em download como upload. Permite uma “massificação de maior densidade de utilizadores a um custo muito menor”.

Editores 4gnews recomendam:

Bruno Coelho
Bruno Coelho
Vive entre a paixão pela escrita, a música e a tecnologia. Licenciou-se em Ciências da Comunicação na Universidade da Beira Interior em 2015, e fez parte da equipa que fundou o Jornal de Belmonte. Produziu vários podcasts independentes pelo caminho. Come especificações ao pequeno-almoço.