MEO lança novidade que queremos na NOS e Vodafone, e pisca o olho à Netflix

Bruno Coelho
Comentar

Com o advento do streaming, os utilizadores habituaram-se a determinados hábitos de consumo de conteúdos que as operadoras devem e têm de acompanhar. E um deles é a passagem de um episódio de uma série para o seguinte, sem cortes.

Com a sua mais recente funcionalidade “Smart Start”, a MEO pisca o olho à Netflix. Passa a oferecer gravações automáticas sem cortes. Algo que certamente esperamos ver nas concorrentes NOS, Vodafone ou NOWO.

Smart Start traz gravações automáticas sem cortes ao MEO

“Apresentamos-te o Smart Start: uma nova vida inteligente. Agora, as gravações automáticas do MEO não têm cortes, os programas começam a reproduzir mesmo no início, podes fazer maratonas a ver as tuas séries preferidas, e muito mais!”, pode ler-se na publicação da MEO nas redes sociais.

Smart Start chega ao MEO
Smart Start chega ao MEO

Como a operadora explica em comunicado, esta medida pretende “melhorar a experiência de consumo de conteúdos, numa aproximação às principais tendências e aos hábitos dos clientes.

Como funcionado o Smart Start do MEO

  • Uma vez selecionado o conteúdo que se quer ver, a gravação arranca efetivamente no início do mesmo, evitando a necessidade de andar para trás ou para a frente;
  • Agora, os episódios da série favorita podem ser vistos de seguida. Após o fim de cada episódio, passa-se imediatamente para o episódio seguinte disponível nas gravações automáticas, independentemente da sua data de emissão, acompanhando uma das principais tendências de consumo de conteúdos de entretenimento;
  • Uma vez terminado o conteúdo selecionado, pode optar-se por continuar a ver a emissão em contínuo a partir do fim do programa ou parar a visualização da gravação.

Estas novas funcionalidades ficam disponíveis numa primeira fase nas tradicionais MEO Box

Editores 4gnews recomendam:

Bruno Coelho
Bruno Coelho
Vive entre a paixão pela escrita, a música e a tecnologia. Licenciou-se em Ciências da Comunicação na Universidade da Beira Interior em 2015, e fez parte da equipa que fundou o Jornal de Belmonte. Produziu vários podcasts independentes pelo caminho. Come especificações ao pequeno-almoço.