Alexa revela-se a maior fonte de prejuízo para a Amazon

Carlos Oliveira
Comentar

Quando falamos do mercado das assistentes virtuais, temos dois grandes protagonistas: Alexa e Assistente Google. Apesar da popularidade que o serviço da Amazon arrecadou nos últimos anos, parece que está longe de ser a "galinha de ovos d´ouro" da gigante americana.

De acordo com um relatório divulgado pela Business Insider, a divisão responsável pelo desenvolvimento da Alexa gerou um prejuízo colossal. Os números ascendem aos 3 mil milhões de dólares só no primeiro trimestre de 2022.

Alexa gera um prejuízo de 3 mil milhões de dólares à Amazon

Os valores apresentados são os mais elevados dentro das diversas divisões que compõem a Amazon. Ou seja, o departamento encarregue do desenvolvimento da Alexa é aquele que atualmente gera mais prejuízo para a gigante do comércio online.

Amazon Alexa

Estes valores demonstram que a estratégia da Amazon para a venda de hardware através dos seus serviços não está a dar resultado. Ou seja, usar a Alexa como incentivo para a compra de dispositivos Echo não correu tão bem como o esperado.

Fontes internas da divisão da Alexa revelam à Business Insider o fracasso que está a ser a incursão da Amazon neste mercado. São utilizadas expressões como "Alexa é uma falha colossal de imaginação" ou "foi uma oportunidade desperdiçada".

Amazon não sabe o que fazer com a Alexa

Os testemunhos são ainda mais impressionantes quando mencionam a falta de objetivos para a Alexa. "Não há uma diretriz clara para os dispositivos. O que tentamos fazer? Ser o melhor? O mais barato? Quando essa parte não está clara, você acaba com fações concorrentes."

Estas declarações atestam a falta de rumo para o desenvolvimento de uma tecnologia com tanto potencial como a Alexa. Naturalmente que sem um objetivo em mente, o serviço acaba por estagnar e não apresenta uma evolução capaz de cativar novos utilizadores e fidelizem os atuais.

Os objetivos que promoveram o desenvolvimento da Alexa parece nunca terem sido atingidos. Recordo que a Amazon promoveu várias vezes as suas colunas Echo como meio mais cómodo para a compra de artigos nas lojas Amazon.

Ainda assim, os utilizadores continuam a dar primazia a estes produtos para os comandos mais básicos. Questões relacionadas com a meteorologia, reprodução de música ou controlo de dispositivos Smart Home são os mais recorrentes no seio dos utilizadores Alexa.

Apesar destes relatos, a Amazon reafirma o seu compromisso com a sua assistente virtual e promete continuar a investir neste serviço. Enquanto isso, a empresa anunciou despedimentos em massa, onde a divisão da Alexa se inclui.

Editores 4gnews recomendam:

Carlos Oliveira
Carlos Oliveira
Tendo já passado por várias casas, a 4gnews é aquela que me segura desde 2015. Com um desejo insaciável de me manter atualizado tecnologicamente, a partilha desse conhecimento é apenas o seguimento natural das coisas.