Adeus Intel: decisão da Apple para os seus computadores não podia ser mais acertada

Filipe Alves
10 comentários

A Apple referiu ontem de forma oficial que os seus computadores deixarão de utilizar processadores da Intel de forma a trazer uma nova ideologia para o futuro. Tim Cook referiu mesmo que esta era uma mudança drástica e que a Apple já há muito vinha a preparar.

Num toque de opinião pessoal, acredito que esta seja a solução mais acertada que a empresa de Cupertino podia tomar. Ainda assim, fico aberto a opiniões diferentes nos comentários do artigo.

Apple fabricará os processadores para os seus computadores

Apple Macbook

Tal como aconteceu com o iPhone e iPad, também os Mac chegarão com processadores Apple. Chips ARM que prometem dar mais potência com menos consumo.

Os processadores da Intel são de uma qualidade extrema, contudo, esta nova ideologia, fará com que a Apple consiga controlar aspetos impossíveis de controlar com processadores de outras empresas.

Ou seja, quando a Apple escolhe (por exemplo) um Intel i7 para o seu computador, a empresa tem de melhorar as características em prol daquele processador.

É um chip potente mas que gasta muita bateria? Então o computador terá de ter uma bateria maior com um design um pouco mais espesso.

Apple Macbook

Com os processadores desenhados pela Apple, a máquina e o chip serão desenhados como um só. Darão um controlo sobre a máquina que os iPhone tem.

Isto é, o iPhone não precisa de uma bruta bateria de 4000 mAh para nos dar uma autonomia decente. Nem precisa de um imensa RAM para fazer das interações fluidas.

Isto porque o software é desenhado para o hardware. E, por sua vez, o hardware é construído a pensar no software. Uma junção perfeita que só alguns fabricantes se podem gabar.

O início será sempre custoso

A Apple referiu que a transição para os novos processadores nos computadores terá a duração de 2 anos. Durante esse tempo, todos os programas e aplicações desenhados para chips Intel funcionarão nos processadores da Apple.

Contudo, o objetivo é fechar as portas a empresas externas. É criar um hardware e software "na casa". Tudo isto para que exista um maior controlo na potência, gestão de autonomia e até privacidade.

Não sabemos no que isto vai dar, porém, o iPhone e iPad são das melhores máquinas no mercado sem ter de puxar muito nas especificações. Ou seja, espero que o mesmo aconteça com os computadores da Apple.

Verdade seja dita, na apresentação da Apple um dos exemplos dados com o Final Cut Pro foi o suficiente para me deixar entusiasmado (vídeo acima). O computador conseguiu facilmente "reproduzir" 3 clips 4K e aplicar filtros ao mesmo tempo, em que pré-visualizada a timeline. Algo que o meu iMac com i7 e 40 GB de RAM não consegue fazer.

Antes de ires, descobre tudo o que sabemos sobre os iPhone 12. Além disso, vê a análise ao iPhone SE (2020), um dos melhores telemóveis até 500 €.

Editores 4gnews recomendam:

Filipe Alves
Filipe Alves
Fundador do projeto 4gnews e desde cedo apaixonado pela tecnologia. A trabalhar na área desde 2009 com passagens pela MEO, Fnac e CarphoneWarehouse (UK). Foi aí que ganhou a experiência que necessitava para entender as necessidades tecnológicas dos utilizadores.