10 dicas para navegar na Internet em segurança durante a Black Friday

Rui Bacelar
Comentar

A Internet tornou-se uma parte fundamental das nossas vidas. Seja para trabalho, entretenimento, informação ou educação. O acesso à Net é já uma parte essencial desta rede e é por isso que é essencial maximizar as medidas de segurança, sobretudo durante a época da Black Friday 2022.

A tentação de aproveitar as melhores promoções e a azáfama de descontos e vendas online, atrai também os amigos do alheio. Nesse sentido, todo o cuidado é pouco, sobretudo para quem não tem muita experiência com compras online em Portugal.

Conselhos práticos para navegar com mais segurança na Internet

1. Não confiar apenas nos browsers para nos proteger de sites maliciosos. Com efeito, os browsers por si só não protegem de todos os perigos cibernéticos na Internet.

É por isso que devemos ter cuidado e andar com cuidado quando navega na Internet. O perigo pode ser encontrado numa plataforma de streaming onde assistem a uma série ou num site de comércio eletrónico.

Os "piratas" criam frequentemente websites semelhantes aos conhecidos pelos utilizadores. Isto a fim de roubar as suas credenciais de acesso, detalhes de cartões de crédito ou contactos de redes sociais. Para evitar isto, é essencial verifiquem se o URL da página web é legítimo.

2. Não reutilizem as palavras-passe. Este é um conselho simples mas eficaz. Ter as mesmas palavras-passe em todas as aplicações e websites é um dos erros mais básicos e perigosos.

Note-se que basta um mal intencionado quebrar ou roubar um deles para poder aceder a todos os outros e ter acesso a todos os dados pessoais dos diferentes sites.

O ideal é normalmente combinar oito caracteres combinando maiúsculas, minúsculas, números e símbolos, para dificultar o acesso. É verdade que eles podem ser complicados de lembrar e de guardar. Porém, esse problema, podendo-se utilizar um gestor de senhas.

3. Manter o browser atualizado. As pessoas podem acreditar que não é necessário manter as atualizações em dia, ou que até abrandam os dispositivos. Todavia, a realidade é que não os instalar é uma prática muito perigosa.

Portanto, para manter um computador seguro, é muito importante manter o software atualizado. Isto uma vez que corrigem falhas de segurança que podem levar a ciberataques.

4. Descativar o formulário de preenchimento automático ou a função de lembrete da palavra-passe. Ainda que tal possa parecer que esta opção é conveniente e facilita as atividades quotidianas, mas há poucas ações que representem um risco maior.

Aliás, quando um utilizador armazena todos os seus dados num browser, facilita a vida aos cibercriminosos. Isto porque se alguém conseguir violar um dispositivo, irá preencher automaticamente as palavras-passe de todas as aplicações para eles.

A opção mais segura para garantir uma maior segurança é introduzir sempre o nome de utilizador e palavra-passe sempre que quiser aceder a uma aplicação ou página web. Mesmo por mais cansativo ou inconveniente que isto possa parecer.

5. A utilização de um software antivírus e a verificação de ficheiros antes de os descarregar. Esta proteção é essencial porque, apesar de tomar todas as medidas apropriadas, um ficheiro malicioso pode sempre escapar devido a erro humano.

Época da Black Friday é mais propícia a engodos para o consumidor

Por conseguinte, é vital ter um antivírus instalado que faça a verificação, descarregue e os rejeite no caso de poderem ser fraudulentos.

6. Usar HTTPS. O acesso a páginas web que começam com estas letras têm um Certificado SSL e cumprem as normas de segurança.

Para além disso, mantém a ligação à Internet segura e protege a informação enviada entre dois sistemas. Ademais, também incluem normalmente um cadeado verde no início da ligação.

7. Rever regularmente extratos bancários. É cada vez mais comum que, uma pessoa ou o seu banco seja, vítima de um ciberataque. Aliás, sobretudo em épocas mais propícias ao consumo como a Black Friday 2022.

Se isto acontecer, é provável que os atacantes tenham obtido as palavras-passe ou dados de um utilizador. Ou seja, uma vez obtidos, podem aceder a uma conta e fazer compras com ela ou vender as credenciais através da Darknet.

Por conseguinte, é muito importante verificar regularmente as despesas efetuadas num cartão bancário para ter a certeza de que tudo está em ordem.

8. Evitar redes Wi-Fi públicas ou gratuitas. Estes tipos de redes não têm nenhum tipo de proteção e qualquer pessoa pode ligar-se a elas, mesmo um cibercriminoso.

Assim, ao estar presente numa rede Wi-Fi sem qualquer tipo de segurança, um atacante pode aceder a tudo o que está armazenado nela. Por isso, pensem duas vezes antes de se ligar a uma delas.

9. Ler as políticas de privacidade. É verdade que pode ser aborrecido e pesado, mas todo o conteúdo relacionado com o facto do que as empresas poderão fazer com os nossos dados está escrito nas suas políticas ou contratos.

Porém, é um grande erro não ser informado; de onde serão armazenados, para que uso terão e se são comerciais ou não e para que fins os recolhem.

10. Ativar o bloqueio de pop-ups. Há muitos websites e aplicações que lhe bombardeiam com anúncios quando os acede. Com efeito, a maioria deles são esquemas cibernéticos, e com a simples instalação de um bloqueador deixarão de aparecer no dispositivo. Assim, evitando, um grande número de perigos.

Em suma, com mais de 5 mil milhões de pessoas a usar agora a Internet, todo o cuidado é bem-vindo. Especificamente, na América do Norte ou na Europa Ocidental, a penetração desta tecnologia excede 95%.

Em Portugal a percentagem da população com internet rápida, excede os 80%.

Editores 4gnews recomendam:

Rui Bacelar
Rui Bacelar
Na escrita e comunicação repousa o gosto, nas leis a formação. Ocupa-se com as novidades de tecnologia na 4gnews. Email: ruifbacelar@4gnews.pt