Android: Xiaomi está a tramar os utilizadores fora da China

Filipe Alves

Android: Xiaomi está a tramar os utilizadores fora da ChinaA Xiaomi é uma das maiores e mais populares fabricantes Android do mundo. Muitos dos nossos leitores tem um Xiaomi no bolso, aliás, a probabilidade de estares a ler este artigo de um smartphone da empresa chinesa é grande.

Por isso é que me deixa um pouco triste o que se estás passar, contudo, não deixa de ser uma medida benéfica para a marca e que era uma questão de tempo até que tal acontecesse.

Vê ainda: Xiaomi LEX: Que misterioso smartphone Android é este?

Vamos começar pelo início. Os produtos da Xiaomi, nomeadamente os smartphones Android, tem uma grande procura porque a qualidade/preço é simplesmente fenomenal. Podes ter produtos de alta qualidade sem rebentar a carteira.

Xiaomi está a tomar medidas sérias para vender os smartphones Android no mercado certo

O Xiaomi Mi Mix 2S, por exemplo, continua a ser um dos meus smartphones preferidos. Mesmo com aquela câmara frontal num local péssimo.

Todavia, a Xiaomi não quer vender por vender. A empresa tem vindo aos poucos a colmatar o problema das Shop ROMs e agora quer resolver outro grande problema. Para saberes mais sobre Shop Roms dá um salto neste artigo.

De acordo com a XDA, a Xiaomi está a bloquear a troca de regiões nos seus smartphones Android. Ou seja, equipamentos que chegam com uma ROM chinesa não poderão (ou será muito mais complicado) instalar uma ROM Global.

Isto acontece porque muitas lojas estão a tirar proveito das vantagens destas ROM's. Isto é, um smartphone com ROM chinesa é vendido na China. Os terminais vendidos na China tem um valor inferior aos que são vendidos no resto dos mercados. Primeiramente porque a empresa quer atacar o mercado de forma séria e porque não existe outros custos de entrega e transporte.

Contudo, com a entrada da Xiaomi na Europa de forma oficial, já convém à empresa chinesa vender os terminais que ela mesmo exporta. Tanto porque oferecem o software dedicado para a região e porque a margem de lucro é ligeiramente superior.

Com muitas lojas a comprar a versão chinesa e a modificar o software, a Xiaomi não consegue vender os seus smartphones Android como são destinados a tal. Principalmente aqueles destinado à Europa ou ao resto do mundo.

A XDA reparou que a Xiaomi está, literalmente, a fazer da vida complicada a quem tenta modificar a região do seu smartphone de forma a ficar preparado para a região onde está. Aliás, o pessoal afirma que se as pessoas não têm cuidado o equipamento pode mesmo virar um autêntico pisa papéis.

Os modelos afetados são:

  • Mi 6X
  • Mi 8
  • Mi 8 EE
  • Mi 8 SE
  • Mi 8 Lite
  • Mi 8 Pro
  • Mi Max 3
  • Mi Mix 2S
  • Mi Pad 4/Mi Pad 4 Plus
  • Poco F1/Pocophone F1
  • Redmi Note 5
  • Redmi Y1 Lite
  • Redmi Y2/Redmi S2
  • Redmi 5
  • Redmi 5A
  • Redmi 6
  • Redmi 6A
  • Redmi 6 Pro
  • Redmi Note 5/Redmi 5 Plus
  • Redmi Note 5 Pro/Redmi Note 5 AI
  • Redmi Note 6 Pro

Assim sendo, se tens um equipamento destes e estás a entrar na aventura das ROMs, toma atenção antes de fazer o que quer que seja.

Embora não goste da atitude da Xiaomi, consigo perfeitamente entender. Se a Xiaomi quer crescer no mercado europeu e mundial tem de fornecer equipamentos com o software preparado e há lojas que simplesmente não o estão a fazer e podem, consequentemente, estragar o bom nome da empresa.

Editores 4gnews recomendam:

Mi Mix 3: Novas informações sobre o próximo topo de gama

Redmi S2 por apenas 107€ com este promocode. Tempo limitado!

Redmi Note 6 Pro e recebe uma Mi Band 3 de oferta

Fonte | Via

Filipe Alves
Filipe Alves
Fundador do projeto 4gnews e desde cedo apaixonado pela tecnologia. A trabalhar na área desde 2009 com passagens pela MEO, Fnac e CarphoneWarehouse (UK). Foi aí que ganhou a experiência que necessitava para entender as necessidades tecnológicas dos utilizadores.