Xiaomi cresce de forma robusta na Europa durante o 3º trimestre de 2018

Rui Bacelar
Apple, LG Huawei OnePlus 6 Xiaomi Black Shark OnePlus 6 Huawei P20 Pro Xiaomi Portugal oficialmente
A fabricante chinesa partilha agora o seu relatório fiscal e surpreende! ©Reuters

O mercado mundial de smartphones enfrenta uma severa recessão desde o fim do ano passado. Todavia, a Xiaomi continua a afirmar-se cada vez mais como excepção à regra, superando até as expectativas dos analistas de mercado.

Nesse sentido vemos agora o relatório fiscal da Xiaomi referente ao terceiro (3º) trimestre de 2018. Por conseguinte, podemos agora comparar os seus resultados com as constatações da IDC que já aqui demos a conhecer.

Vê ainda: Xiaomi lança coluna bluetooth por pouco mais de 5 euros

Em primeiro lugar, segundo a própria fabricante chinesa, temos efetivamente valores muito positivos para o trimestre em análise. Período que terminou em setembro último e durante o qual a marca totalizou 312.6 milhões de euros em lucros operacionais.

Por conseguinte temos aqui lucros na ordem dos 357.23 milhões de dólares, um grande aumento face ao período homólogo de 2017. Recordo que no ano passado a marca teve avultados prejuízos durante o 3º trimestre.

Xiaomi continua a crescer mas nem tudo é perfeito...

Em suma, as receitas da Xiaomi durante o 3º trimestre de 2018 subiram 49.1% face ao mesmo período do ano passado. Na prática a marca arrecadou 6.4 mil milhões de euros durante o trimestre que acabou em setembro último. Todavia, a fabricante chinesa registou uma queda nos lucros na ordem dos 38.4%. Algo que se deve a uma multitude de factores, sendo a desaceleração do mercado chinês um dos principais. Todavia, esse não foi o único fator na origem desta queda nos lucros líquidos auferidos.

Xiaomi Mi 8 Android Oreo Google
A fabricante chinesa sentiu a recessão no seu país natal. REUTERS/Bobby Yip

Apesar de alguns indicadores menos favoráveis, certo é que a Xiaomi, Vivo e OPPO entre si repartiriam cerca de 1/4 do mercado global de smartphones durante a primeira metade de 2018. Estes dados foram avançados recentemente pela agência IDC.

Em suma, neste momento a Xiaomi apoia-se sobretudo na Índia, o 2º maior mercado mundial de smartphones por si dominado. Todavia, a este exemplo de sucesso junta-se a Rússia bem como a Espanha, mercados onde a marca também está a singrar.

Europa e Índia ajudam a fabricante chinesa a crescer

Entretanto a Xiaomi continua a trilhar um bom caminho pelo velho continente. Nesse sentido tivemos recentemente o topo de gama "Mi 8" a chegar ao Reino Unido, entre outros mercados.

Todavia, segundo a opinião dos analistas de mercado, as margens de lucro da marca não subirão tão cedo. Para tal a fabricante chinesa terá que aumentar bastante as vendas da sua linha de topo, os seus flagships.

Nesse sentido, teremos que ver os dispositivos da linha "Mi" e "Mi MIX" a ser tão procurados quanto os "Redmi". Note-se que é no segmento de topo onde residem as maiores margens de lucro por produto.

Acções da Xiaomi caíram cerca de 20% desde julho...

Ainda assim, a Xiaomi tem uma rígida política de contenção das margens de lucro. Nesse sentido podemos ver a atual limitação deste valor a apenas 5%. Algo que naturalmente divide as opiniões dos investidores...

Numa última nota, relembro a partir de junho passado a Xiaomi passou a estar cotada na bolsa de ações. Isto é, a Xiaomi tornou-se numa empresa de capital aberto cujas ações são livremente negociadas.

Editores 4gnews recomendam:

Pocophone F1 começou agora a receber a desejada atualização

MIUI 10: Android Pie chega a mais um smartphone em breve

Mi 8 Lite e Pro – download aqui da versão global estável da MIUI 9

Fonte | via

Rui Bacelar
Rui Bacelar
Na escrita e comunicação repousa o gosto, nas leis a formação. É na tecnologia que encontrou o seu expoente máximo e na 4gnews a plataforma ideal para a redação e produção de vídeo.