Xiaomi prepara smartphone com ecrã ainda mais fluído que o OnePlus 7T Pro

Carlos Oliveira
Comentar

O OnePlus 7T Pro possui um dos ecrãs mais fluidos do mercado graças à sua taxa de atualização de 90Hz. Esta tecnologia foi introduzida no OnePlus 7 Pro e os elogios ao seu ecrã são unânimes.

Segundo avança agora o fórum XDA Developers, a Xiaomi prepara-se para superar a sua conterrânea neste campo. Ao que tudo indica, a chinesa está a desenvolver um smartphone com um ecrã com uma taxa de atualização de 120Hz.

Caso tal se venha a verificar, este estará acima do OnePlus 7T Pro, mas não será o primeiro smartphone a chegar ao mercado com esta taxa de atualização. O Asus ROG Phone II já possui um ecrã com a mesma capacidade de atualização de imagem.

Xiaomi Mi 9

O que significa uma taxa de atualização de 120Hz?

De uma forma simples, uma taxa de atualização ou refresh rate de 120Hz significa que o ecrã consegue atualizar a informação 120 vezes por segundo. Este tipo de tecnologia é prática comum em monitores dedicados ao gaming e está agora a migrar para os smartphones.

No quotidiano, isto significa que terás transições tão rápidas que dá a sensação que o smartphone é mais rápido que ou outros. Dificilmente conseguirás ver um pixel enquanto navegas seja por onde for.

MIUI 11 é quem nos dá a pista

Voltando ao tema principal, as pistas surgiram numa complicação de testes da MIUI 11. O XDA Developers deparou-se com uma definição que permite a configuração da taxa de atualização do ecrã para 60Hz ou 120Hz.

Os 60Hz são aquilo que normalmente todas as fabricantes já incluem nos seus dispositivos móveis. Quanto aos 120Hz, são poucas as que o já fazem e a Xiaomi prepara-se para ser a próxima do lote.

Resta agora saber qual será o equipamento escolhido para contar com tal tecnologia. Dada a sua aplicação no mundo gaming, o possível Black Shark 3 é o grande candidato para acolher esta tecnologia.

Editores 4gnews recomendam:

Comentar
Carlos Oliveira
Carlos Oliveira
Tendo já passado por várias casas, a 4gnews é aquela que me segura desde 2015. Com um desejo insaciável de me manter atualizado tecnologicamente, a partilha desse conhecimento é apenas o seguimento natural das coisas.