Xiaomi podia ter tido outro nome quando foi fundada, revela CEO

Bruno Coelho
Comentar

A Xiaomi é em 2020 uma das marcas mais reputadas no mundo tecnológico a nível global. Este é o nome que todos nos habituamos a pronunciar, mas que nem sequer foi a primeira escolha dos fundadores.

O co-fundador e CEO da Xiaomi, Lei Jun, revelou esta sexta-feira que a empresa esteve perto de se chamar Xuande ou Red Star quando foi fundada. A revelação foi feita durante o décimo aniversário da comunidade Xiaomi.

Lei Jun
Lei Jun, CEO da Xiaomi

Tudo aconteceu na primeira reunião de sempre entre os membros fundadores da Xiaomi, a 14 de janeiro de 2010. Aí, o tema principal em discussão era o nome da marca, e Xiaomi não foi o primeiro a ser colocado em cima da mesa.

Red Star foi a primeira opção

Red Star foi a primeira opção a ser proposta, mas acabou por ser colocado de parte porque já era uma marca registada. Xuande foi outro nome colocado em cima da mesa, mas acabaria rejeitado por não soar bem aos fundadores.

Para além de Red Star ou Xuande, Qianqi, Antong ou Lingxi estavam entre as centenas de hipóteses possíveis. O resto é história, e o nome escolhido pela empresa fundada a 6 de abril de 2010 seria o que todos conhecemos - Xiaomi.

Desde cedo que associamos o logo “Mi” à empresa. Segundo Lei Jun, um dos significados é o facto de significar ‘Mobile Internet’, porque a Xiaomi queria ser uma empresa mobile na internet. O outro significado é ‘Mission Impossible’ (Missão Impossível), isto porque a empresa pretendia completar uma tarefa vista como muito difícil de alcançar.

Editores 4gnews recomendam:

Bruno Coelho
Bruno Coelho
O Nokia 3650 foi o primeiro grande mergulho no mundo tecnológico. Se o Football Manager e o cinema são dois dos seus escapes, o Macbook Pro é o melhor amigo. Escrever sobre tecnologia é o processo natural na vida de alguém que come especificações ao pequeno-almoço.