Xiaomi POCO C40: smartphone vai chegar com processador inesperado

Bruno Coelho
Comentar

A série C da submarca da Xiaomi, POCO, é normalmente utilizada para o lançamento de smartphones acessíveis de gama de entrada. À semelhança de outros equipamentos da POCO, são também versões renomeadas de aparelhos da Redmi.

Assim foi com o POCO C3 ou POCO C31, versões renomeadas do Redmi 9C. A marca prepara-se agora para lançar o POCO C4 que será alegadamente uma versão renomeada dos Redmi 10. Mas quanto ao POCO C40, pode destacar-se por trazer um processador totalmente inesperado.

POCO C40 pode chegar com processador JR510 da da JLQ

Na sua passagem pela agência reguladora FCC, acreditou-se que o POCO C40 seria apenas mais uma versão renomeada do Redmi 10C. No entanto, o XDA-Developers descobriu que este terminal não terá o processador Snapdragon 680 da Qualcomm.

Segundo kacskrz, membro sénior do XDA-Developers, o terminal também não vai usar um processador MediaTek ou Unisoc, mas sim um processador chamado JR510. Este processador pertence a uma fabricante pouco conhecida chamada JLQ e é usado em smartphones da Treswave.

Conceito do POCO C40
Conceito do POCO C40. Crédito: Xiaomiui

POCO C40 com versão simplificada da MIUI?

A mesma fonte terá descobrido ainda que o POCO C40 pode chegar com uma versão simplificada da MIUI. Este smartphone da Xiaomi pode chegar MIUI GO, algo semelhante ao conceito do Android GO.

Linhas de código com referência à MIUI GO
Linhas de código com referência à MIUI GO

Esta aparece ao lado da MIUI LITE, que é usada para limitar janelas flutuantes ou o modo Game Turbo em smartphones com menos de 4 GB de RAM. Resta agora saber se o conceito passa mesmo por algo semelhante ao Android GO, ou apenas mais uma medida restritiva.

Por enquanto não são conhecidos mais pormenores sobre este smartphone. Mas a fonte refere que o mesmo será lançado na Europa.

Editores 4gnews recomendam:

Bruno Coelho
Bruno Coelho
Vive entre a paixão pela escrita, a música e a tecnologia. Licenciou-se em Ciências da Comunicação na Universidade da Beira Interior em 2015, e fez parte da equipa que fundou o Jornal de Belmonte. Produziu vários podcasts independentes pelo caminho. Come especificações ao pequeno-almoço.