Ao efetuar uma compra através dos links deste artigo, o 4gnews pode ganhar uma comissão. Conheça o nosso processo de seleção de produtos.

Xiaomi: teclado mecânico com RGB da Black Shark à venda com preço incrível

Bruno Coelho

A Xiaomi continua a estender o seu espólio de produtos na Europa, desta vez com a sua marca direcionada para produtos gaming, Black Shark. Esta lançou recentemente um teclado mecânico na Europa, e já podes comprá-lo por preço incrível na Amazon de Espanha.

Chama-se Black Shark Sixgill K2, e é o teclado ideal para jogadores exigentes. Conta com iluminação RGB e é bastante personalizável. Podes comprá-lo nesta loja online pelo preço apelativo de 49,99 €.

Sabe mais sobre preços e envios do Xiaomi Black Shark Sixgill K2

xiaomi black shark

Por este valor tens acesso a portes grátis para Portugal, com entrega em poucos dias. A juntar a isto podes contar com 3 anos de garantia na União Europeia. Caso tenhas dúvidas de como fazer compras na Amazon, podes consultar o nosso artigo dedicado.

O Black Shark Sixgill K2 é um teclado mecânico com retroiluminação de teclas e barra de luz circundante. Tem 12 efeitos de retroiluminação diferentes, 5 modos de iluminação de jogos predefinidos e 3 efeitos de iluminação lateral. Vem equipado com 8 cores individuais opcionais, 7 níveis de brilho e velocidade de movimento.

xiaomi

Promete ser bastante preciso e eficaz, apto para 50 milhões de pulsações de teclas, garantindo rendimento e durabilidade. Conta com 105 teclas livres e um design bastante ergonómico. Também tem 12 combinações de teclas multimédia e Windows Lock.

Como refiro acima, é uma opção bastante viável abaixo dos 50 euros. No entanto, deves ter em conta que tem layout para Espanha. Por isso, se isso é um problema para ti não será a melhor opção.

Sabe mais sobre preços e envios do Xiaomi Black Shark Sixgill K2

Editores 4gnews recomendam:

Bruno Coelho
Bruno Coelho
Vive entre a paixão pela escrita, a música e a tecnologia. Licenciou-se em Ciências da Comunicação na Universidade da Beira Interior em 2015, e fez parte da equipa que fundou o Jornal de Belmonte. Produziu vários podcasts independentes pelo caminho. Come especificações ao pequeno-almoço.