Xiaomi patenteia smartphone com câmara capaz de torcer para tirar selfies

Carlos Oliveira
1 comentário

A Xiaomi está sempre a preencher novas patentes com ideias que podem revolucionar o mercado dos smartphones. Essa tendência repete-se agora com uma filosofia absolutamente irreverente.

A nova ideia da Xiaomi consiste num equipamento capaz de torcer a sua parte superior para que a câmara principal sirva também como câmara frontal. Esta é uma abordagem curiosa que visa dispensar notches ou punch holes.

Xiaomi patente selfie

Ecrã e câmara do smartphone poderá torcer para tirar uma selfie

É isso mesmo que acabaste de ler. A empresa chinesa não quer criar apenas uma câmara capaz de inverter o seu sentido - como, por exemplo, o Samsung Galaxy A80 -, mas sim torcer a sua estrutura.

Para isso, a Xiaomi criará dois ecrãs. Teremos um ecrã principal que cobrirá a maioria da estrutura do equipamento e ainda uma porção menor no topo, sendo que essa será "torcida".

Esse movimento de torção será possível graças à incorporação de dobradiças na parte superior do ecrã. Serão essas que possibilitarão um movimento horizontal, fazendo com que a câmara principal do smartphone sirva igualmente como câmara frontal.

A interface do equipamento também terá de ser especialmente adaptada a este conceito. Quando o smartphone estiver no seu estado normal, a informação será mostrada em todo o ecrã. Já quando torcido, a interface conseguirá adaptar-se apenas à parte inferior do ecrã.

De todos os conceitos com que já fomos confrontados para abolir notches ou buracos no ecrã, este parece ser o mais arrojado. O processo de engenharia inerente a esta abordagem não será simples e isso terá consequências no preço final do equipamento.

Sendo uma patente, isso não implica que a tecnologia seja alguma vez lançada para o mercado. Ainda assim, a Xiaomi viu vantagem em documentá-la legalmente para que ninguém se adiante.

Editores 4gnews recomendam:

Carlos Oliveira
Carlos Oliveira
Tendo já passado por várias casas, a 4gnews é aquela que me segura desde 2015. Com um desejo insaciável de me manter atualizado tecnologicamente, a partilha desse conhecimento é apenas o seguimento natural das coisas.