Xiaomi diz que não copiou a Apple. CEO conta a verdade sobre o carregador

Bruno Coelho
Comentar

No final deste ano de 2020, a Xiaomi apresentou o Mi 11. E a medida mais polémica do novo smartphone topo de gama da fabricante chinesa é que chega sem carregador na caixa (numa das suas versões).

Imediatamente surgiram as críticas online de que a Xiaomi estava somente a copiar a Apple. Isto porque, recorde-se, a empresa de Cupertino optou por lançar os iPhone 12 sem qualquer carregador na caixa por “razões ambientais”.

CEO da Xiaomi já pensava remover o carregador da caixa em 2015

Quando confrontado com essa “cópia” do que a Apple fez, Lei Jun, CEO da Xiaomi, afirma que a ideia foi sua e não a teve recentemente. O executivo afirmou que esta ideia já lhe surgiu em 2015.

Tal como pode ser confirmado no GSMArena, Lei Jun questionou mesmo os seus seguidores em 2015 sobre esta questão na rede social Weibo. Ainda assim, é inegável a influência da Apple para dar esse passo

Xiaomi Mi 11
Xiaomi Mi 11 foi lançado na China a 28 de dezembro. Versão base não tem carregador na caixa

Com uma ideia a marinar há cinco anos, a Xiaomi só deu esse passo depois de a Apple o dar. O que acaba por mostrar que a “coragem” de o fazer só existiu quando uma referência no segmento mobile o fez.

E nunca é de mais recordar que a Xiaomi brincou com o facto de a Apple ter retirado o carregador da caixa dos seus smartphones em outubro. Pelo menos na China, oferece aos utilizadores a possibilidade de escolha. Com um lançamento global para breve, veremos se globalmente faz o mesmo.

Editores 4gnews recomendam:

Bruno Coelho
Bruno Coelho
O Nokia 3650 foi o primeiro grande mergulho no mundo tecnológico. Se o Football Manager e o cinema são dois dos seus escapes, o Macbook Pro é o melhor amigo. Escrever sobre tecnologia é o processo natural na vida de alguém que come especificações ao pequeno-almoço.