Xiaomi: como a inspiração na Apple a ajudará a crescer em 2021

Rui Bacelar

A Xiaomi é a quarta maior fabricante mundiais de smartphones de acordo com as agências de análise de mercado, devendo subir ao terceiro lugar em 2021. Nesse mesmo ano será responsável por cimentar algumas tendências criadas pela Apple, entre outras de cunho próprio. Começando pela remoção do carregador da caixa, ao ciclo quase frenético de lançamentos, eis algumas considerações.

Em dias de novo smartphone topo de gama, o Xiaomi Mi 11, terminal que definirá a marca em 2021, com apresentação precoce no presente ano, também ele incorpora pelo menos duas pedras basilares da indústria. O Snapdragon 888 da Qualcomm e a outra, notoriamente ausente, na figura do adaptador de parede ou carregador USB.

A responsabilidade acrescida da Xiaomi em 2021

Xiaomi

Perante a inexorável e irremediável retração da Huawei na Europa e demais mercados mundiais, cabe à Xiaomi e possivelmente à OPPO, repartir grande parte da sua quota de mercado. Algo que traz associadas novas responsabilidades para com os consumidores, além das já confirmadas decisões ousadas de Lei Jun.

A Apple é a grande inspiração da Xiaomi desde os seus primórdios, sendo carinhosamente apelidada de "Apple chinesa". É, contudo, em 2021 que a Xiaomi brilhará mais forte que nunca e tal também se deve a alguns dos vetores da empresa de Tim Cook.

1. A remoção do carregador USB no Xiaomi Mi 11

Carregador Xiaomi

Será (mais) um ano em que os smartphones topo de gama (flagships) são mais pobres que muitos dispositivos de gama média e gama baixa. Note-se que o Xiaomi Mi 11 chegará numa caixa mais estreita devido ao facto de não ter este acessório comum.

Para tal, Lei Jun, CEO da Xiaomi, alegou várias razões que podem não ter convencido grande parte da comunidade tecnológica. Certo é que a Apple tomou esta decisão controversa com os iPhone 12, aguentou as críticas e continuou o seu habitual labor. Agora que tal é já um dado aceite e adquirido, veremos não só a Xiaomi, mas o grande núcleo de fabricantes Android a seguir-lhe o exemplo.

A medida recebeu uma boa dose de críticas, mas ajudará a marca a aumentar as margens de lucro. Por outro lado, para que o consumidor retire proveito do carregamento rápido terá mesmo que comprar um dos melhores carregadores no mercado.

O ambiente agradece tal como os cofres das empresas, os contentores de carga poderão transportar mais unidades e a venda de carregadores aumentará. Felizmente já compilamos a lista dos melhores para o Xiaomi Mi 11, entre outros dispositivos móveis.

2. A utilização do Snapdragon 888 da Qualcomm

Snapdragon 888

O mais recente processador ou chip da Qualcomm é um dos mais potentes "motores" que poderão encontrar no mercado em 2021. Será o SoC a procurar para quem quer o melhor desempenho, a melhor receção de rede 5G, ótimo processamento de imagem para melhores fotografias e vídeos, além de uma maior eficiência energética que trará melhorias de autonomia.

A Xiaomi não quis esperar por 2021 para apresentar o Mi 11 com este processador, antecipando-se à concorrência e roubando para si este pódio. A precocidade da medida é compensada com o banho mediático que catapultará o Mi 11 para as manchetes.

O novo smartphone Xiaomi topo de gama chega ao mercado no início de 2021 e definirá o curso do mercado Android.

3. Mais e melhores atualizações de software coma MIUI

MIUI 12.5

Seguindo a Apple, a Xiaomi deve talhar a sua terceira pedra basilar com base nas atualizações de software e suporte aos produtos. Este é, talvez, o maior trunfo que a Apple detém sobre o mercado Android, os cinco anos de atualizações para os seus smartphones.

Não que a Xiaomi passe imediatamente a entregar atualizações durante os mesmos anos que a Apple, mas vemos já mais dedicação a este quesito. Note-se que hoje (28), conhecemos o Mi 11, além da MIUI 12.5, a mais recente versão desta interface da Xiaomi.

A atualização chegará a um grande número de dispositivos, com a marca chinesa a ser uma das fabricantes Android que durante mais tempo atualiza os seus terminais. Ainda que possa demorar para alguns modelos, as novidades continuarão a chegar.

Em 2021 a Xiaomi brilhará, em parte devido à Apple

Em 2021, com o crescente poderio de mercado, contamos com uma Xiaomi ainda mais atenta a este importante quesito. Os utilizadores sabem mostrar o seu apreço quando a empresa cuida dos seus produtos com suporte oficial aos mesmos.

Com a fabricante de Cupertino a Xiaomi deve aprender e replicar o bom histórico de suporte e atualizações, não só as medidas mais mediáticas e controversas como a remoção do carregador. E, enquanto os preços se mantiverem competitivos, a inspiração na Apple ajudará a Xiaomi a crescer sobretudo na Europa e também no resto do Mundo.

Editores 4gnews recomendam:

Rui Bacelar
Rui Bacelar
Na escrita e comunicação repousa o gosto, nas leis a formação. É na tecnologia que encontrou o seu expoente máximo e na 4gnews a plataforma ideal para a redação e produção de vídeo.