Xiaomi Black Shark Wireless Bluetooth Headphone: auriculares Bluetooth perfeitos para gamers?

Bruno Coelho
Comentar

Esta semana a Black Shark apresentou três novos smartphones. Esta submarca da Xiaomi com foco nos produtos gaming deu-nos a conhecer também uns novos auriculares que podem afirmar-se como o modelo perfeito para ‘gamers’.

Os BlackShark Wireless Bluetooth Headphone apresentam-se com um design com a linguagem da marca. Nestes domina a cor preta, e sobressai também os pormenores em verde, como são exemplo os LEDs nos auriculares. Estão também disponíveis em branco.

Contam com drivers dinâmicas de 12 mm, para uma experiência de som imersiva garantida. Além disso, a proporcionam também cancelamento de ruído ativo, capaz de cancelar ruído até 40 decibéis.

Características principais dos
Características principais dos Xiaomi BlackShark Wireless Bluetooth Headphone

BlackShark Wireless Bluetooth Headphone com autonomia de até 30 horas

A marca não revelo qual a capacidade da bateria dos auriculares, mas revelou a sua autonomia indicada. Promete 30 horas de autonomia total com a caixa, e com apenas 15 minutos de carga dos auriculares terás 3 horas adicionais de reprodução garantida.

Estes são uns auriculares muito direcionados para o público da BlackShark que joga no smartphone. Por isso, chegam com suporte para baixa latência de 86 milissegundos. Desta forma podes aproveitar os teus jogos com os teus auriculares sem te preocupar com delay.

Podes contar com suporte para microfones duplos, e cancelamento de ruído ambiente para melhores chamadas. A certificação IPX4 dá-te ainda resistência a salpicos e suor, pelo que os podes levar nas aventuras desportivas.

Foram lançados na China por 399 iuanes (equivalentes a 57 euros). À semelhança dos smartphones BlackShark 5, é de crer que possam também chegar à Europa no futuro.

Editores 4gnews recomendam:

Bruno Coelho
Bruno Coelho
Vive entre a paixão pela escrita, a música e a tecnologia. Licenciou-se em Ciências da Comunicação na Universidade da Beira Interior em 2015, e fez parte da equipa que fundou o Jornal de Belmonte. Produziu vários podcasts independentes pelo caminho. Come especificações ao pequeno-almoço.