WhatsApp é uma app de vigilância, acusa Pavel Durov da Telegram

Rui Bacelar
Comentar

O WhatsApp é sem sombra de dúvida a plataforma de comunicações instantâneas mais popular do mundo. Não obstante, a app de mensagens é pontualmente acometida por algumas brechas ou lacunas de segurança que, segundo Pavel Durov, homem forte da Telegram, são o indício de algo muito pior.

Segundo o fundador da Telegram, os "Hackers podiam ter acesso completo a tudo o que se passava no WhatsApp dos utilizadores", referindo-se a uma brecha recente na segurança da plataforma. Lapso que a plataforma do grupo Meta se apressou a colmatar com uma atualização da app para Android e iOS.

Pavel Durov insta os utilizadores a afastarem-se do WhatsApp - "É uma ferramenta de vigilância"

Hackers could have full access (!) to everything on the phones of WhatsApp users – https://t.co/kefCbrdpc8

— Pavel Durov (@durov) 5 de outubro de 2022

O WhatsApp tem sido noticiado por todas as funções que gradualmente adiciona à sua plataforma, ou pelas alterações ao funcionamento de determinados aspetos da sua app. Todavia, recentemente alertamos para uma falha de segurança com o seu serviço que ficou resolvida com a disponibilização de uma atualização de emergência.

Este lapso afetou, de igual modo, as versões para Android e iOS desta aplicação de mensagens e veio também trazer novas críticas do fundador da plataforma rival, Telegram, para o WhatsApp.

Segundo Durov, os "hackers podiam ter acesso completo a tudo o que se passava no WhatsApp dos utilizadores". Como se não bastasse, o executivo referiu-se ao WhatsApp como uma plataforma de vigilância e ferramenta de obtenção de informações.

O WhatsApp está pejado de backdoors, por muito que as tentem combater

Durov garante que o WhatsApp sofreu uma forte brecha de segurança cujos efeitos foram rapidamente aplacados pela empresa sob a alçada de Mark Zuckerberg.

Não obstante, enquanto a lacuna existiu, uma parte mal intencionada podia obter acesso pleno ao smartphone da vítima, por exemplo.

Mais ainda, o fundador da Telegram referiu que o WhatsApp passou por algo similar em 2017, 2018, 2019 e também em 2020.

Em todas essas instâncias os dados e informações dos utilizadores ficaram expostos a backdoors como o prova o hacking ao telefone de Jeff Bezos, o homem mais rico do mundo, vítima de uma destas brechas,

Pavel Durov afirma que o WhatsApp está pejado de portas escondidas, as back doors que, uma vez sendo descobertas, são simplesmente alteradas para voltarem a ser introduzidas no código das aplicações, voltando assim a vigorar.

Telegram não precisa de publicidade, está a crescer e recomenda-se

Telegram is among the top 5 most downloaded apps in the world. Of these top 5 apps, Telegram is the only one that doesn't spend billions on marketing to buy downloads. In a way, we are the only app that is on the list purely because it is genuinely loved by the people 💙

— Pavel Durov (@durov) 28 de abril de 2022

Em suma, para Durov, não importa quantas atualizações de emergência cheguem ao WhatsApp para Android e iOS. A própria estrutura da plataforma está de tal modo estudada e dissecada por várias agências organizadas e dedicadas ao hacking que de pouco adiante o esforço constante dos responsáveis da app de mensagens.

Durov garante ainda que a sua Telegram não precisa de mais publicidade. Com mais de 700 milhões de utilizadores ativos mundialmente, e 2 milhões de novas adesões, a sua plataforma de mensagens instantâneas está em pleno crescendo.

Assim, cabe apenas ao utilizador a decisão sobre o risco. A comodidade e ubiquidade do WhatsApp é inegável. Todos temos pelo menos um contacto na lista telefónica que está no WhatsApp (provavelmente a maioria estará), sendo agora uma decisão pessoal.

Existem, por fim, alternativas mais seguras ainda como a Signal, apesar de a Telegram ser vista amplamente como a alternativa ao WhatsApp, sendo certamente a mais popular nesse papel.

It doesn't matter if you are the richest person on earth if you have WhatsApp installed on your phone, all your data from every app on your device is accessible, as Jeff Bezos found out in 2020. That's why I deleted WhatsApp from my devices years ago.Having it installed creates pic.twitter.com/11KpsEFet3

— Aiydin, Günaydın (@AiydinELC) 6 de outubro de 2022

Editores 4gnews recomendam:

Rui Bacelar
Rui Bacelar
Na escrita e comunicação repousa o gosto, nas leis a formação. Ocupa-se com a atualidade tecnológica na 4gnews. Email: ruibacelar@4gnews.pt