samsungpay copy

O serviço de pagamento via smartphone não é algo novo, já antes de o Apple Pay existir comprava eu o meu cafezinho com o Google Wallet, não era perfeito, mas foi um bom começo. A tecnologia evoluiu e a Apple entrou ao barulho e o serviço Apple Pay veio revolucionar a mentalidade das pessoas e empresas. É sabido que quando a Apple entra em algo, por muito que seja algo já comum entre o mundo geek, os serviços ou produtos rapidamente ficam moda.

Agora é moda pagar com Apple Pay, (pelo menos em UK) como também é moda usar um smartwatch com a maçã trincada, é algo inevitável. A Samsung ao entrar nesta batalha sabia que não conseguia competir lado a lado. O serviço Apple Pay requere que a empresa tenha esse implementado esse serviço, a Samsung utilizou um serviço que qualquer empresa já tem.

   

Segundo palavras ditas na apresentação da Samsung, “se a empresa aceita cartões, aceita Samsung Pay”. Este serviço para além de seguro tem de facto as suas vantagens e ser uniforme entre as empresas é sempre uma mais valia e um ponto positivo ao serviço da Apple e Apple pay.

O serviço terá ainda parceiras com algumas lojas que deixarão aglutinar cartões da própria companhia no smartphone, isto é, imagina que tens um cartão de oferta de determinada empresa com parceria com a Samsung, podes deixar esse cartão em forma virtual no teu terminal e utilizares quando chegares à loja.

O serviço estará disponível no dia 20 na Coreia e EUA, e logo de seguida sem datas especificas em alguns Países da Europa. Portugal não deverá ser um dos primeiros a receber este serviço, mas acredita-se que tal possa acontecer.

A Samsung apresentou hoje o Samsung Galaxy Note 5 e o Galaxy S6 Edge+, terminais capazes de surpreender tanto em especificações como design, conhece-os melhor com os artigos abaixo:

Talvez queiras ver:

Fundador do projeto 4gnews, sempre olhei para a tecnologia como um pedaço de nós. Desde cedo ligado ao mundo tecnológico, este é literalmente o meu trabalho de sonho. Amante de vinho e apaixonado pelo meu Vit. Guimarães, acredito ainda que todas as nossas acções são o gatilho para o nosso futuro.