Microsoft Surface Go 2 Review: o companheiro ideal!

António Guimarães

Dois anos após o lançamento do Surface Go, a Microsoft decidiu apostar novamente no segmento dos computadores portáteis 2 em 1. Intitulado de Surface Go 2, esta versão traz algumas melhorias ao que já era uma boa opção para consumo de multimédia e produtividade leve.

A versão que testámos é a mais poderosa, com o processador Intel M3, 8 GB de RAM e 128 GB de SSD, cujo valor ronda os 800 euros. Esta versão também inclui ligação 4G LTE, para chamadas e acesso a dados móveis fora de casa. Após análise, vamos ver tudo o que o novo Surface Go 2 tem para oferecer.

Versões e preços do Microsoft Surface Go 2 e acessórios

  • Microsoft Surface Go 2 com 4GB / 64 GB e processador Pentium Gold 4425Y: 469.99€
  • Microsoft Surface Go 2 com 8GB / 128 GB e processador Pentium Gold 4425Y: 599.99€
  • Microsoft Surface Go 2 com 8GB / 128 GB e processador Intel Core M3-8100Y: 839.99€
  • Capa teclado Type Cover: 89.99€
  • Capa teclado Alcantara: 129.99€
  • Surface Mobile Mouse: 39.99€
  • Surface Pen: 114.99€

Design e construção inalteradas e ainda bem

Em relação ao Surface Go original, a Microsoft pouco alterou. Continua a ser um equipamento sólido, bem construído, sem momentos onde sintamos o material a ceder no manuseio diário. As dobradiças do kickstand oferecem resistência ao abrirmos e são feitas em metal.

A diferença mais notória ao compararmos com a versão anterior é o tamanho do ecrã, que aumentou para 10.5 polegadas e passou a ter uma resolução de Full HD (1920 x 1080). Esta decisão aumentou ligeiramente o peso do Surface Go 2, mas é preferível ter um pouco mais de espaço para visualização de conteúdos e trabalho.

sdfd

Desempenho que não desilude no essencial

Caso queiras utilizar o Surface Go 2 para qualquer atividade que não seja consumo de multimédia, aconselho que escolhas pelo menos a versão com 8 GB de RAM e 128 GB de memória, sendo que a ideal é mesmo a versão com o processador Intel Core M3.

O desempenho não me deixou boquiaberto nem me desiludiu. Na verdade, sendo proprietário de um Surface Go, a diferença em performance é bastante notória. Desde o momento em que ligo o Surface Go 2, à abertura de aplicações e multi-tarefas, não senti entraves ou "soluços" na utilização.

Contudo, nem tudo são rosas. Saliento desde já que o Surface Go 2 não é uma máquina para jogos além dos disponíveis na Microsoft Store ou títulos bem antigos. Adicionalmente, a edição de vídeo pode ser um problema com ficheiros mais pesados.

Mesmo assim, gosto de levar os equipamentos ao limite e testei alguns jogos (GTA San Andreas, por exemplo) e fiz alguma utilização dos programas da Adobe como o Photoshop para edição de imagem e Premiere para edição de vídeo. Tirando alguns óbvios entraves no Adobe Premiere, o Surface Go 2 até se portou bem.

Autonomia foi melhorada

A sua autonomia também foi satisfatória, onde notei uma maior duração em relação à versão anterior. Caso precises de passar 5-6 horas a trabalhar no computador ou a consumir conteúdo, este equipamento não te vai desiludir.

No entanto, não esperes que o Surface Go 2 aguente um turno de 8 horas sem precisar de carregamento. A impressão final com que fiquei é que o Go 2 possui uma autonomia superior à versão anterior.

Windows 10 em Modo S? Não obrigado!

Por mais que a Microsoft queira manter os utilizadores seguros dentro da Microsoft Store, creio que qualquer utilizador terá a necessidade de instalar aplicações fora da loja. Assim sendo, uma das primeiras coisas que fiz foi desativar o Windows 10 em Modo S ou Windows 10S, o que não é reversível.

Este modo limita a instalação de aplicações à Microsoft Store, o que não é compatível com a minha utilização. Para estarmos seguros na internet, nada como uma boa dose de bom senso e no máximo dos máximos, um software para deteção de malware ou vírus.

fgvdsx

Periféricos da Microsoft são dispensáveis, dependendo do utilizador

A capa teclado, embora dispendiosa, é essencial se vais utilizar o Surface Go 2 para produtividade. O teclado, além de servir como capa, tem layout em PT, é retroiluminado e possui os botões essenciais como controlo de volume, brilho do ecrã e até mesmo 3 níveis de retroiluminação nas teclas, sendo que pode ser desligado por completo.

A capa teclado inclui ainda um ligeiro iman, garantindo que a capa não se abre, protegendo o ecrã. Existem ainda dois imans fortes laterais, onde podes acoplar a caneta Surface Pen. Em relação à caneta, fiquei satisfeito com a sensibilidade da mesma a tomar notas ou a fazer rabiscos nas várias apps de desenho.

Caso sejas um artista a iniciar-se, podes utilizar o Surface Go 2 para desenhar ao invés de uma mesa digitalizadora. A Surface Pen é configurável dentro do Windows, através do programa Windows Ink. O seu emparelhamento é feito por Bluetooth e necessitas uma pilha AAAA para alimentá-la (incluída).

Finalmente, temos o Surface Mobile Mouse, com ligação Bluetooth. Este periférico prima pelo design e ergonomia, só peca ao não ter uma bateria interna, sendo que tens de alimentá-lo com duas pilhas AAA (incluídas). A Microsoft afirma uma autonomia de 12 meses neste rato.

Especificações do Microsoft Surface Go 2

  • Ecrã 10.5 Full HD (1920 x 1080p)
  • Processador Intel Core M3 de 8ª Geração
  • RAM de 8 GB
  • Disco SSD de 128 GB
  • Câmara frontal de 5 MP com gravação em FHD
  • Câmara traseira de 8 MP com gravação em FHD
  • Sistema operativo: Windows 10 Home em modo S
  • Peso: 554g (sem a capa teclado)
  • Acessórios opcionais: capa teclado, rato Microsoft, caneta tátil Surface Pen
  • Entradas: 1 x USB-C, 1 x Jack 3.5mm, 1 x leitor de cartões MicroSDXC

fsdgvfs

Conclusão: o companheiro ideal, mas com preço alto

Em suma, o Microsoft Surface Go 2 é um equipamento interessante. É-te garantida uma boa autonomia, qualidade de ecrã, ergonomia e uma experiência Windows favorável. É um óptimo portátil 2 em 1 para consumo de multimédia, produtividade e o parceiro ideal para quem trabalha dentro e fora da secretária, bem como para estudantes.

Contudo, o seu preço de quase 1000 euros (contando com a capa teclado) pela versão mais potente é algo salgado. Em termos de comparação superficial temos o iPad Pro, que atualmente tem um potencial enorme com o iPadOS, bem como outros equipamentos semelhantes de outras fabricantes.

É importante salientar que o preço do Surface Go 2 também reflete todo o trabalho de design, qualidade de construção e ergonomia, além da experiência Windows integrada. De todos os computadores da linha Surface, o Go 2 é sem dúvida o meu favorito e posso recomendá-lo, caso vás fazer utilização total das suas capacidades.

Pontuação 4gnews (de 0 a 10)

Design e qualidade de construção 9
Ecrã 8
Desempenho 8
Interface 7
Bateria 8
Qualidade / Preço 5

PONTUAOA

António Guimarães
António Guimarães
Juntamente com os seus atuais companheiros Mi A2 e Surface Go, batalha para elucidar as massas sobre todos os acontecimentos da esfera tecnológica. "Informação é poder" é a frase que o acompanha diariamente. Talvez um dia a coloque numa t-shirt.