Quarentena está a fazer do PUBG Mobile ainda maior! Os números impressionam

Filipe Alves
Comentar

Com milhões de pessoas "presas" em casa devido à quarentena do COVID-19, o PUBG Mobile é um dos jogos que está a ganhar seriamente com isto.

A Tecent Games, dona do PUBG Mobile, acaba de anunciar que teve cerca de 600 milhões de downloads do seu jogo para Android e iOS.

PUBG Mobile tem uma média de 50 milhões de jogadores diários

Mais impressionante que os downloads são os jogadores online. Nos últimos tempos o PUBG Mobile tem conseguido arrecadar cerca de 50 milhões de jogadores online. Estes valores são diários e não mensais.

O jogo está disponível para Android e iOS e a sua lógica de Battle Royal tem vindo a ganhar cada vez mais adeptos. Vale a pena relembrar que o PUBG Mobile já tem dois anos.

Ou seja, esta popularidade não é por ser o jogo mais recente da Play Store ou Apple App Store. As evoluções e atualizações do jogo, fazem do PUBG mobile um dos melhores no seu segmento.

Os concorrentes mais fortes do PUBG Mobile

PUBG Mobile

Temos dois concorrentes que devem a pena ser falados. O Fortnite é enorme no PC, contudo, o facto de não poder instalar através da Google Play Store para Android e a limitação de gadgets para jogar é um ponto menos positivo.

Já o Garena Free Fire é a melhor solução para quem quer a mesma ideologia do PUBG Mobile, porém, não tem um smartphone capaz de conter os gráficos do PUBG Mobile. O Free Fire é um dos jogos mais populares do Brasil e tem vindo a crescer em Portugal também.

Agora com a quarentena imposta aos portugueses, aconselho vivamente a experimentar o PUBG Mobile. O jogo é simplesmente fantástico e merece, garantidamente, o tempo de aprendizagem que vais ter de ter para conseguir controlar o teu avatar de forma mais competente e competitiva.

Editores 4gnews recomendam:

Filipe Alves
Filipe Alves
Fundador do projeto 4gnews e desde cedo apaixonado pela tecnologia. A trabalhar na área desde 2009 com passagens pela MEO, Fnac e CarphoneWarehouse (UK). Foi aí que ganhou a experiência que necessitava para entender as necessidades tecnológicas dos utilizadores.