Qualcomm poderá responder tarde demais aos processadores M1 da Apple

Carlos Oliveira
Comentar

A apresentação dos processadores M1 da Apple mexeu com o mercado e comprovou a excelência da empresa na criação do seu hardware. Os resultados impressionantes obtidos por esse componente obrigaram empresas como a Qualcomm a olhar seriamente para esse mercado.

Rapidamente a Qualcomm declarou o seu interesse no lançamento dos seus processadores ARM para PC. Tais produtos chegarão mesmo ao mercado, contudo, tarde demais.

Primeiro processador ARM da Qualcomm para PC chega apenas no final de 2023

Na apresentação dos resultados financeiros da Qualcomm, o CEO da empresa revelou o calendário para o lançamento dos seus processadores ARM. Segundo Christian Amon, os primeiros PC´s com esse componente chegarão às lojas "no final de 2023".

Qualcomm

Este calendário representa um atraso nos prazos inicialmente definidos pela Qualcomm. O objetivo inicial seria disponibilizar as primeiras unidades aos construtores em agosto de 2022, mas agora isso foi adiado para a segunda metade do ano.

A tecnológica americana afirma que este novo componente servirá para estabelecer um novo patamar de desempenho em computadores Windows. O foco da Qualcomm não está apenas no desempenho, mas também na autonomia dos produtos equipados com os seus chips.

A Qualcomm não esteve com rodeios e afirmou que estes serão a sua resposta aos processadores M da Apple. Contudo, poderão falhar no seu objetivo pelo lançamento tardio dos seus componentes.

Se o seu objetivo for igualar o desempenho dos processadores M1, então chegarão ao mercado com três anos de atraso. Por essa ocasião, a Apple poderá estar já a planear ou até já ter no mercado a linha de processadores M3.

Ainda é um cedo para antever aquilo que os próximos processadores da Qualcomm terão para oferecer. Será necessário aguardar pelos primeiros benchmarks para percebermos o seu nível de desempenho.

Editores 4gnews recomendam:

Carlos Oliveira
Carlos Oliveira
Tendo já passado por várias casas, a 4gnews é aquela que me segura desde 2015. Com um desejo insaciável de me manter atualizado tecnologicamente, a partilha desse conhecimento é apenas o seguimento natural das coisas.