Netflix: plano barato com publicidade pode ter limitação significativa

Rui Bacelar
Comentar

A gigante do streaming passa atualmente por uma fase de reorganização, preparando novos conteúdos para manter os atuais subscritores e delineando pelo menos um plano acessível para atrair novos utilizadores. Em causa está o novo plano de subscrição barata, com publicidade apresentada na plataforma de streaming de filmes e séries online.

Esta metodologia será replicada pela Disney+ que também já deu a conhecer as suas intenções em imitar o modelo de negócios da plataforma líder. Porém, segundo as novas informações avançadas pelo jornalista Mark Gurman do grupo Bloomberg, este plano barato esconde uma séria limitação face às alternativas mais onerosas.

Plano barato sustentado em publicidade na Netflix não permitirá visualização offline

Netflix’s upcoming ad-supported tier won’t have a key feature of the current pricier plans: the ability to download shows and movies for offline viewing. That’s according to code in the iPhone app discovered by @SteveMoser. https://t.co/tZpiGXUr5A

— Mark Gurman (@markgurman) 17 de agosto de 2022

Importa, primeiramente, colocar a tónica no caráter não oficial destas declarações. Todavia, Gurman sustenta o seu relato na análise feita ao código-fonte da aplicação da Netflix para iPhone, mais concretamente para o sistema iOS. A descoberta foi feita por Steve Moser, responsável pelo perfil de Twitter @SteveMoser.

Em causa está o seu tweet (publicação no Twitter) onde afirma existirem novas regras para o plano da Netflix com publicidade. De acordo com Moser, que terá analisado uma versão em desenvolvimento da app iOS da Netflix, há já novas regras delineadas para quem quer pagar menos pelo acesso à plataforma.

Regras para downloads detetadas na app iOS da Netflix

New Download rules for Netflix with Ads https://t.co/UgA32ucn8W

— Steve Moser (@SteveMoser) 17 de agosto de 2022

Com efeito, a Netflix não deverá permitir que os seus assinantes do próximo plano barato sustentado em publicidade a ser apresentada na plataforma descarreguem os conteúdos. Ou seja, não poderemos descarregar filmes e séries online para ver mais tarde (offline). Esta foi a conclusão avançada por Steve Moser após a análise ao código-fonte da app para iPhone.

Tal medida parece sugerir que a plataforma tudo fará para distanciar o plano barato dos seus atuais planos pagos. Ou seja, dando mais incentivos para que o consumidor opte por um dos planos de subscrição mais caros. Após ter rejeitado veementemente a inclusão de publicidade no seu serviço, a gigante do entretenimento volta agora atrás na sua palavra perante novas necessidades.

Limitações de conteúdo e fruição do mesmo no "plano barato" da Netflix

Recordamos, a propósito, a promessa feita pela Netflix há já vários anos de nunca colocar publicidade no seu serviço. Algo que efetivamente ajudou a plataforma a tornar-se na referência do setor, mas que agora, confrontada com maior concorrência e receitas menos amplas, obrigaram a empresa a repensar a sua estratégia.

Em suma, para além de uma expectável restrição a determinados filmes e séries disponíveis no plano barato, teremos também esta limitação nos downloads.

Recordamos ainda que este novo plano deve ser introduzido até ao final do ano pela Netflix. Em dezembro deste ano a principal rival, Disney+, deverá introduzir também o seu plano equivalente, sustentado em publicidade.

Editores 4gnews recomendam:

Rui Bacelar
Rui Bacelar
Na escrita e comunicação repousa o gosto, nas leis a formação. Ocupa-se com as novidades de tecnologia na 4gnews. Email: ruifbacelar@gmail.com