Microsoft Windows 10 Mobile
Qual o futuro do Windows 10 Mobile da Microsoft?

Por que lado começar? Cara ou coroa? O bom ou o mau. A Microsoft decidiu acabar com o Windows 10 Mobile de uma forma subtil, mais discreta do que aquela que aconteceu com o Windows Phone 7 e Windows Phone 8.1.

“M”, de Mau e de Microsoft. A empresa que me obrigou à visita de uma das suas flagship stores, e uma das que mais gosto estimo no seu ramo, é também aquela que me deu amarguras quanto baste a nível Mobile.

Vê também: Nokia Edge – Podes desejar e até cobiçar mas nunca terás este Smartphone

   

Porém, terá sido só a mim? Infelizmente, que eu saiba não. E não estou a falar de casos em que alguém se estreou no mundo Windows Phone à procura de Apps ou Jogos. Falo de casos de pessoas que ainda hoje tentam utilizar o seu smartphone, agora com Windows 10 Mobile e que, mesmo assim, sentem dificuldades a concretizar as tarefas mais básicas.

E aqui está o problema. Não é uma simples choradeira. Não tem que ver com o fim do suporte aos aparelhos com três ou quatro anos. Não tem que ver com o fim do suporte aos aparelhos com 4GB de armazenamento e 512MB de RAM.

A Microsoft, mesmo que cheia de boas intenções, que eu sei que houve, acabou por fazer dum ótimo sistema operativo, o WP8.1, algo que parece ainda por maturar. O Windows 10 Mobile não tem dois ou três meses de idade. Mesmo assim, a sua gestão foi algo desastrosa, e não vale a pena dizer que não foi.

O Windows 10 Mobile foi talvez o menos feliz dos sistemas operativos móveis da Microsoft…

Afinal, foram adicionadas umas quantas aplicações importantes à Store, mas a experiência de utilização ficou bem pior, mesmo que haja mais funcionalidades. Ou seja, exagerando um pouco, era preferível – no 8.1 – aquele loading rápido que se esperava para abrir ou fechar uma aplicação, do que não sabermos se a aplicação irá abrir ou fechar-se (sem que quiséssemos) – no 10.

O bom. “B” de algo desconhecido, mas que acontecerá. Algo que, se tudo correr bem, poderá ser o início de uma nova caminhada.  Caminhada essa que, pelas tomadas de decisão da empresa de Redmond terá e irá, durar bem mais que qualquer outro projeto a nível Mobile.

Não interessa o que virá. Interessa que virá. Lá porque a Microsoft abandonou, passe a expressão, o Windows 10 Mobile, isso não quer dizer que não haverá novidades de sua parte no futuro.

Não vale mais a pena dizer o que será, se um Surface qualquer coisa, se com um ecrã dobrável ou não, sei lá. Já se disse tanta coisa em tanto sítio que não haverá alguém que ainda não tenha acertado no que será o misterioso equipamento.

A única certeza? Será tão épico que só um fanboy de qualquer outra coisa poderá afirmar que o produto não tem qualquer sentido ou que a sua compra é um erro. Veremos.

Para finalizar, nada é tão mau quanto parece. E embora os investimentos possam ter sido avultados no que toca ao Windows Phone e companhia, se o foram é porque realmente se gostava daquilo que a Microsoft oferecia e isso é a opinião de cada um. Para além disso, se esse capítulo se fechou finalmente, e por sabermos que só a Microsoft poderá fazer frente a um mercado dominado por duas companhias como aquelas que nós sabemos, então que os mais fiéis preparem o porquinho mealheiro.

Outros assuntos relevantes:

Nokia 8: smartphone foi revelado no site oficial da empresa finlandesa

Apple iPhone 8: Molde de metal volta a revelar Touch ID na traseira

Motorola fará frente à Samsung DeX com este novo Moto Snap

Desde cedo comecei a interessar-me pelo que podia fazer no computador. Porém, a grande paixão surgiu com o primeiro telemóvel e complementou-se com os smartphones. Nada há a dizer, são simplesmente fantásticos e úteis em todo o tipo de situações.