Project ARA 4

Lembram-se do artigo da semana passada que relatava o adiamento do Project ARA? Pelos vistos o adiamento vai ser mais demorado do que o esperado e, infelizmente, só veremos o smartphone modular em 2016. Desde do tweet da equipa oficial por detrás do Project ARA, a afirmar a desistência de Porto Rico, a atividade no Twitter tem sido alguma e acabaram por revelar que estavam à procura de novos locais para realizar o mercado piloto em solo americano, mais recentemente anunciaram 2016 como a data de lançamento do Project ARA e um dia depois admitiram que os protótipos não passaram no teste de queda.

Tudo más notícias para aqueles que estão ansiosos para ver o Project ARA suceder e chegar ao mercado mas como em qualquer projeto pioneiro existem altos e baixos e erros, que infelizmente atrasam os planos mas são a verdadeira essência do desenvolvimento. Desta vez, o atraso deveu-se provavelmente ao teste de queda falhado e só há uma explicação para o ARA chumbar no teste, ao cair no chão os módulos separam-se do endosqueleto, o que consequentemente vai implicar grandes mudança nos protótipos.

Project ARA

Para segurar os módulos ao endosqueleto, a equipa do Project ARA pretendia utilizar ímanes eletricamente permanentes, que como o nome implica, estes ímanes ligam ou desligam consoante a passagem de uma corrente elétrica assim, e através de uma app que controla independentemente os ímanes, os módulos poderiam ser facilmente trocados, aquando dos ímanes desligados, e fixados ao endosqueleto, aquando ligados, e consoante o desejo do utilizador. Uma excelente utilização para estes ímanes, o único problema é a fraqueza dos ímanes para manterem os módulos no lugar em caso de queda.

Todo o Project ARA assentava nestes ímanes que agora se provaram incapazes de constarem nos protótipos, assim a equipa vai ter que arranjar outra solução para o grande problema que é trocar e fixar os módulos ao endosqueleto indefinidamente e consoante o desejo do utilizador, para a qual, de certeza, já estão a trabalhar no duro. Outra atualização divulgada pela equipa foi, o agrupamento de todo o hardware mínimo necessário para o funcionamento do ARA num só módulo para libertar espaço para outros módulos. Provavelmente vão continuar a ser divulgadas novidades no Twitter oficial do Project ARA, todavia grandes desenvolvimentos só em 2016 mas vamos continuar a mostrar o nosso apoio a este ambicioso projeto.

Talvez queiras ver: