Invisibilidade Digital: 4 dicas para melhorar a privacidade online

Rui Bacelar
Comentar

A Google anunciou recentemente o lançamento da sua ferramenta "Resultados sobre si", que pode ajudar os utilizadores a remover resultados de pesquisa que contenham informações de identificação pessoal. É uma das mais recentes e melhores medidas de promoção da privacidade online, que importa dar a conhecer.

Com efeito, geralmente, esta funcionalidade facilita aos utilizadores o acompanhamento da forma como a sua informação pessoal (como um número de telefone ou endereço) é eliminada dos resultados de pesquisa online.

Há, assim, alguns comportamentos de fácil implementação que podem ser aplicados por qualquer utilizador.

Invisibilidade digital

Em primeiro lugar, apesar de tais características sejam úteis, apenas removem a ligação de pesquisa, e não os dados em si. Porém, o melhor é que os dados pessoais não apareçam na Internet, caso queiram mantê-los em privado.

Desse modo, colhemos as dicas dos peritos da Kaspersky partilham sobre como proteger os dados pessoais na web.

1. Ajustar as definições de privacidade

Partilha excessiva - a partilha dos dados que deveriam ter sido deixados em privado - ocorrem nas redes sociais. Embora seja natural que as pessoas partilhem com amigos e famílias, isto traz vários riscos, tais como o doxing.

As definições de privacidade vêm em socorro, e embora se possam parecer complexas e esmagadoras, existem dicas de privacidade que podem tornar a sua utilização das redes sociais segura e agradável.

2. Cuidado com o que se partilha online

No clássico da literatura infantil, Hansel e Gretel, duas crianças que se perderam na floresta, assinalaram o seu caminho com migalhas de pão.

A Internet funciona muito da mesma maneira. Cada vez que as pessoas utilizam serviços digitais, a sua actividade deixa para trás pedaços, 'migalhas' de informação.

Uma migalha pode ser algo como um post nas redes sociais, uma etiqueta na foto, ou uma compra online. Assim, quando combinadas, as migalhas criam um único todo; a pegada digital dos utilizadores, que pode ser utilizada para os identificar online.

3 Lutar contra o rastreio da web

Todos os dias os utilizadores podem visitar dezenas de websites ou serviços digitais. Muitos deles recolhem dados sobre as atividades online das pessoas, muitas vezes sem que os visitantes sequer saibam.

Com efeito, esta informação pode ser utilizada para traçar o perfil do utilizador. Os potenciais criminosos podem então inferir os interesses de potenciais vítimas para mostrar banners publicitários direcionados.

Portanto, várias soluções, tais como extensões de navegadores ou componentes em soluções de segurança, limitam o rastreio da web, impedindo que os websites recolham informações sobre si.

4. Dois cadeados são melhores que um

Para proteger totalmente a conta, utilizem sempre a autenticação de dois fatores (2FA) onde ela estiver disponível.

Embora as senhas fortes e, mais importante, únicas sejam obrigatórias, o 2FA torna incrivelmente mais difícil para os hackers roubarem a conta e obterem os dados privados aí armazenados.

Por outro lado, como é impossível recordar palavras-passe para todos os websites e aplicações, a opção mais segura será utilizar um gestor de palavras-passe para criar palavras-passe fortes e únicas para todas as contas.

Neste caso, os utilizadores precisam de criar apenas uma palavra-passe principal forte e única para utilizar tal aplicação todos os dias.

Esta palavra-passe principal deve ser realmente longa e complexa. Para criar uma, os utilizadores podem usar diferentes truques, tais como o método 'Algoritmo da História'. Baseia-se na utilização de frases ou palavras familiares que fazem sentido para as pessoas e, não só ajudará a lembrar a palavra-passe, mas também a torná-la uma combinação forte.

Editores 4gnews recomendam:

Rui Bacelar
Rui Bacelar
Na escrita e comunicação repousa o gosto, nas leis a formação. Ocupa-se com as novidades de tecnologia na 4gnews. Email: ruifbacelar@4gnews.pt