Impossible Labs
Lily Cole, fundadora da plataforma Impossible

Como mente criativa e amante de arte, de design e tecnologia, este assunto despertou o meu interesse e por isso não podia deixar de referir e noticiar a Impossible Labs. Como jovem arquitecta e designer, veja-se os prémios 4gnews, gosto de perceber como é feita a ponte entre estas áreas e o mundo tecnológico. 

A KwameCorp, co-fundada pelo português Kwame Ferreira, decidiu juntar-se à marca global Impossible e relançar a empresa com um novo nome.

A Impossible Labs pretende através da tecnologia, da arte e do design transformar e criar novas ideias, e com isto resolver problemas aparentemente impossíveis na nossa realidade.

   

A Impossible surgiu em 2013 como uma plataforma de economia social. Uma rede social dirigida a pessoas de cariz altruísta,criada pela atriz e modelo Lily Cole.

Esta plataforma tem vindo a expandir-se para outras áreas, como a Impossible Labs que veio enriquecer em áreas como a tecnologia e design, com o objetivo de “Reimaginar o mundo com um produto de cada vez”.

Desta união, nasce uma nova empresa global de design, de engenharia e de inovação mundial que tanto fornece soluções tecnológicas às gigantes internacionais – como a Google, a Samsung, Roche, Intel, entre outras – como projeta e desenvolve produtos e serviços digitais com impacto social positivo, assentes numa lógica sustentável e ética.

A empresa é uma das poucas a deter a certificação B Corporation (empresa social e ambientalmente responsável).

Impossible Labs: De Lisboa para o mundo

A Impossible Labs tem já em Lisboa cerca de 35 profissionais que pretendem mudar o mundo e a forma como as empresas dinamizam e inovam.

“Como empresa, a KwameCorp foi criada sem uma identidade de marca intencional, foi apenas um grupo de pessoas que se uniu para resolver problemas”, afirma Kwame Ferreira.

O co-fundador e CEO da KwameCorp acrescenta que “juntamente com a Impossible, partilhamos uma visão de resolução de problemas através de produtos, pelo que decidimos juntar forças sob uma identidade comum, a Impossible Labs”.

Além de Lisboa, a Impossible Labs conta ainda com escritórios em Londres, São Francisco e Brisbane, e pretende reforçar esta rede onde designers, engenheiros, criativos, web developers e problem solvers, de várias nacionalidades, mas de ideias semelhantes, se unem pela mesma visão e valores comuns: honestidade, liberdade, responsabilidade e transparência.

“Pode parecer utópico, mas para a Impossible a liberdade tem uma parceira: a responsabilidade; além de encorajar o crescimento pessoal e profissional, a autonomia, a saúde e a felicidade no trabalho”, explica Kwame Ferreira.

Entre os vários produtos e soluções desenvolvidas estão o Fairphone (o primeiro smartphone com preocupações éticas), o desenvolvimento de aplicações para a Tango da Google, a plataforma financeira empresarial Braveno (lançada no WebSummit 2016) e, mais recentemente, o projeto Nikabot (chat bot de produtividade empresarial).

A Impossible tem ainda uma loja online (via) com produtos que têm um impacto positivo no mundo, a começar pela escolha criteriosa de materiais usados no seu fabrico, como os peculiares Wires, óculos feitos com arame do Zimbabwe cuja produção ajuda a população local.

Outros assuntos relevantes:

Samsung Galaxy S8+ é revelado em novo vídeo

Teste a LG G6 mostra alguma resistência a riscos

Apple iPhone mais problemáticos que dispositivos Android, conclui estudo