Honor lançará um smartphone dobrável, mas apenas em 2020

Vitor Urbano

A Huawei foi uma das principais fabricantes a apresentar o seu primeiro smartphone dobrável, o Huawei Mate X. Ainda que a Honor se mantenha como sub-marca da gigante chinesa, o seu CEO - George Zhao - confirmou que a marca não irá apostar num smartphone dobrável este ano.

Zhao afirmou que ainda que seja fã do design do Mate X, a aposta num desenvolvimento desta natureza, não é a melhor estratégia para 2019. De acordo com o CEO da Honor, smartphones deste segmento não irão ser muito procurados antes da chegada de 2020.

O grande motivo para a fabricante se manter afastada desta nova tendência de 2019, é o facto de que os custos envolvidos no desenvolvimento e produção deste tipo de smartphone, são simplesmente astronómicos. Além disso, todos esses custos refletem-se no preço final dos smartphones, que não vai de encontra às práticas da fabricante.

CEO da Honor não acredita que a melhor estratégia seja lançar-se 'de cabeça' neste novo segmento de mercado

No entanto, George Zhao confirmou que tem a ambição de conseguir trazer um smartphone dobrável para os fãs da fabricante, mas que irá certamente demorar algum tempo. Uma vez mais, o preço final dos smartphones dobráveis parece ser a principal barreira que precisa ser ultrapassada. Nesta altura, parece ser financialmente impossível lançar um smartphone dobrável muito longe dos 2000€.

Assim, fica a confirmação de que um smartphone dobrável da Honor irá chegar eventualmente, mas não num futuro próximo. Será interessante ver como é que a fabricante irá conseguir desenvolver um smartphone desta natureza, mantendo-se fiel às suas estratégias de preço.

É importante realçar que ainda há bem pouco tempo, a Honor deixou a sua posição bastante clara quanto aos smartphones dobráveis. Afirmando que não acreditava que estes fosse o futuro. Claramente, algo fez com que o seu CEO mudasse de ideias.

Por outro lado, o CEO da marca confirmou ainda que não têm nenhum plano para se expandir para o mercado norte-americano. Assim, irão continuar a apostar na sua presença nos vários mercados europeus, América latina e médio oriente.

É possível que além dos grandes custos provenientes de acordos com as operadoras americanas. Também a 'guerra' com a Huawei se apresente como um grande ponto negativo nesta possível aposta.

Editores 4gnews recomendam:

Xiaomi Mi Band 3 ou Honor Band 4 – Qual a melhor smartband lowcost?

Redmi defende Xiaomi após crítica da Honor ao Mi 9

Honor vai adiantar-se à Huawei no lançamento da sua primeira Smart TV

Vitor Urbano
Vitor Urbano
Sempre de mão-dada esteve a tecnologia, o desporto e o mundo gaming. Por isso, se não estiver a escrever sobre o que de novo há no mundo da tecnologia, o mais provável é estar a jogar uma partida de Ultimate Team no FIFA 19.