Honor destrona Xiaomi e Apple, além de humilhar a Huawei na China

Rui Bacelar
Comentar

A Honor é a terceira maior fabricante mundial de smartphones na China, em si o maior mercado mundial de dispositivos móveis. O crescimento desta fabricante, outrora uma sub-marca da Huawei, vem eclipsar a antiga casa-mãe e superar a Apple e Xiaomi.

Em primeiro lugar continua a Vivo, com a OPPO em segundo lugar, muito próxima da conterrânea, cristalizando o domínio do grupo BBK Eletronics, do qual também faz parte a Realme e OnePlus, sobre o mercado natal relativamente às vendas de smartphones.

A fabricante chinesa eclipsou a antiga casa-mãe, Huawei, na China

Honor 50
A gama de smartphones Honor 50 foi apresentada em junho de 2021.

A Honor é atualmente uma fabricante independente, apesar de algum escrutínio por parte dos EUA, e já superou consideravelmente a antiga detentora, Huawei. Aliás, a Huawei não consta sequer do Top 5 de fabricante na China, mercado que dominara outrora.

Os dados em questão foram agora divulgados pela agência de análise de mercado, Canalys, cujo relatório torna evidente o desaire da Huawei. Em pouco tempo, a fabricante tornou-se irrelevante até mesmo no seu mercado natal onde os serviços Google não são usados e onde os HMS poderiam encontrar um grande palco de utilizadores.

Assim sendo, vemos a Honor a vender 14,2 milhões de smartphones Android durante o terceiro trimestre de 2021. Trata-se de um crescimento de 25% de ano para ano, detendo agora a fabricante 18% de quota de mercado na China.

Os antigos utilizadores Huawei terão passado para a Honor

Apple, Xiaomi, Vivo, OPPO, Honor, Huawei
Mercado chinês de acordo com o relatório da agência Canalys.

A Canalys refere que a maioria dos antigos utilizadores Huawei terão feito o upgrade para telemóveis Honor. Este é um dos fatores que terão contribuído para o forte crescimento da "jovem" marca, suplantando até a Xiaomi, bem como a norte-americana Apple.

Mais ainda, a Canalys refere que a adoção da Honor deveu-se sobretudo aos novos smartphones Android de gama média, mais baratos que a linha Honor 50. Mais concretamente, com equipamentos como o Honor Play 20, bem como os Honor X20.

Note-se ainda que, mais recentemente, os smartphones Honor 50 também chegaram aos mercados da Europa. No entanto, as suas vendas não foram tidas em consideração neste relatório que ilustra a realidade do mercado chinês durante o terceiro trimestre.

OPPO permanece em segundo lugar após assimilação da OnePlus

Canalys smartphones China
Evolução do mercado de smartphones na China entre 2019 e 2021. Crédito: Canalys.

Face ao exposto vemos que também o mercado chinês se ressentiu neste terceiro trimestre. Segundo a Canalys, o volume de smartphones vendidos caiu cerca de 5% face ao período homólogo. No entanto, é prevista uma melhoria no atual trimestre.

Em síntese, vemos uma Xiaomi assim resignada ao quarto lugar. Não obstante, supera o lugar ocupado pela Apple (5.º lugar). Fora das tabelas está a Huawei, remetida para a memória coletiva com a Honor a ocupar grande parte da sua antiga quota de mercado.

Por fim, a Canalys refere que a Huawei terá vendido cerca de 5 milhões de smartphones durante o último trimestre. São métricas que tornam óbvia a posição periclitante da outrora magnânima marca de telemóveis e tablets Android.

Editores 4gnews recomendam:

Rui Bacelar
Rui Bacelar
Na escrita e comunicação repousa o gosto, nas leis a formação. É na tecnologia que encontrou o seu expoente máximo e na 4gnews a plataforma ideal para a redação e produção de vídeo.