Depois das situações que se passaram com o Samsung Galaxy Note 7, as companhias aéreas tem mostrado algum ressentimento face aos dispositivos com as suas próprias baterias.

O modelo da Samsung, que foi retirado do mercado depois de imensas combustões, mostrou que a tecnologia é frágil, principalmente aquela que usa baterias de lithium para serem operadas.

   

Vê ainda: Huawei P10 Lite foi alegadamente apresentado “à porta fechada”

Com o imenso esforço das empresas para fazer os seus gadgets o mais “wireless” (sem-fios) possível, as dúvidas face à segurança dos aparelhos cada vez são maiores.

Note 7 depois da explosão

Numa viagem de Pequim para Melbourne uma mulher Australiana sentiu essas inseguranças de uma forma mais intensa. A passageira de um vôo de duas horas tinha os seus headphones sem-fios colocados quando de repente sentiu um enorme ardor.

Em reportagem à ATSB a passageira indica que: “Quando me ia a virar senti um a minha cara a queimar. Tirei os headphones da cara e pousei-os à volta do pescoço“. (ainda sem saber ao certo o que se passava) Continuou dizendo “Continuei a sentir o queimado por isso atirei-os para o chão. Os headphones começaram a dar faísca com pequenas chamas a sair dentro deles“.

Não foi reportado qual a marca de headphones que a mulher estava a usar, porém, não me parece que fique no segredo dos deuses durante muito tempo.

Esta situação faz com que as companhias aéreas voltem a olhar para equipamentos de bateria de uma forma ainda mais intensa. Claro que o facto deles explodirem assusta qualquer um, mas quando imaginamos um problema desses dentro de um avião a quilómetros de altitude, temos de aumentar a escalada do problema.

Ficaremos atentos ao desenvolvimento da situação. Entretanto, e embora este seja um “wake up call“, não consigo deixar de usar uns headphones wireless. É verdade que a tecnologia tem de evoluir, não há dúvidas disso, contudo, a portabilidade e a comodidade são mesmo muitas.

Outros assuntos relevantes:

LeEco Le X850 chegará por 250€ com Snapdragon 821 e ecrã QHD

Samsung confirma o nome “Bixby”, Inteligência Artificial pode chegar à gama “A” e “J”

O Xiaomi Mi6 pode ser adiado e a culpa é da Samsung!

ViaCNET
FonteATSB

Fundador do projeto 4gnews, sempre olhei para a tecnologia como um pedaço de nós. Desde cedo ligado ao mundo tecnológico, este é literalmente o meu trabalho de sonho.
Amante de vinho e apaixonado pelo meu Vit. Guimarães, acredito ainda que todas as nossas acções são o gatilho para o nosso futuro.