Ao efetuar uma compra através dos links deste artigo, o 4gnews pode ganhar uma comissão. Conheça o nosso processo de seleção de produtos.

Google Pixel 6a suporta taxa de 90 Hz, mas está limitado a 60 Hz, eis o porquê

Rui Bacelar
Comentar

O smartphone Google Pixel 6a é um dos melhores telemóveis até 500 euros em 2022. É uma excelente alternativa ao Nothing Phone (1), bem como ao Xiaomi 12 Lite 5G, ambos equipamentos no mesmo escalão de preços, competindo no segmento de gama média / alta, com boas caraterísticas técnicas. Há, contudo, um detalhe que não pode ser ignorado neste smartphone Google.

Este telemóvel foi lançado pela gigante das pesquisas como modelo mais barato face à gama Pixel 6 com os respetivos modelos de gama alta. Não obstante, o novo 6a partilha várias das caraterísticas técnicas dos seus "irmãos" mais caros, inclusive a alta taxa de atualização do ecrã a 90 Hz. Todavia, a Google terá optado por truncar esta benesse nos mundanos 60 Hz.

Limitação de software deixa o Google Pixel 6a com atualização de ecrã a 60 Hz

Budget phone of the year? Pixel 6a with 90Hz unlocked pic.twitter.com/3suHD88KyZ

— Nathan (@TheLunarixus) 10 de agosto de 2022

Importa frisar primeiramente que a taxa de atualização do ecrã a 60 Hz é uma das principais desvantagens do Google Pixel 6a. Isto face aos seus concorrentes diretos e, claro, face aos topos de gama da Google.

Note-se que este telemóvel possui um ecrã de 6,1 polegadas com resolução Full-HD+, painel OLED com cantos arredondados e, na ficha técnica, atualização a 60 Hz.

Por outro lado, o modelo de gama alta, Google Pixel 6, possui um ecrã similar, OLED de 6,4 polegadas com resolução Full-HD+. Tem ainda alta taxa de atualização a 90 Hz, o novo padrão nos smartphones em 2022.

Portanto, o "castrar" esta benesse no modelo mais barato, a gigante de Mountain View criou artificialmente um novo ponto de comparação e diferencial entre os seus smartphones de gama média e gama alta.

Google Pixel 6a
O smartphone Google Pixel 6a e respetivos esquemas de cor disponíveis.

A descoberta foi agora feita pelo responsável pelo perfil de Twitter @TheLunarixus). Ao que tudo indica, Nathan, o programador em causa, partilhou na rede social Twitter as verdadeiras capacidades do display utilizado no Pixel 6a.

Em causa está um ecrã produzido pela Samsung, um OLED cuja taxa de atualização máxima suportada é de 120 Hz, ainda que deva operar a um máximo de 90 Hz.

Por outras palavras, através do software, a Google limitou o ecrã do seu Pixel 6a de modo a aumentar o "fosso" entre o produto de gama média e as suas ofertas de gama alta.

O smartphone Google Pixel 6a custa desde 459 € na Amazon.ES

Google Pixel 6a
O smartphone Google Pixel 6a está disponível desde 459 € na Amazon.ES

A competitividade entre produtos terá levado a tecnológica a tomar esta decisão nada abonatória do consumidor. Note-se que no seu mercado doméstico, o Pixel 6a custa desde 449 dólares, ao passo que o Pixel 6 custa desde 599 dólares, já com alta taxa de atualização do ecrã.

Desse modo, a Google dá mais um incentivo "técnico" para o consumidor investir os 150 dólares adicionais e optar pelo modelo de gama alta. De qualquer modo, seria de bom-tom, agora que o logro foi descoberto, pelo menos disponibilizar ao utilizador a opção de ativar esta taxa de atualização a 90 Hz.

Uma atualização de software pode desbloquear o potencial do Google Pixel 6a

Certo é que uma maior taxa de atualização do ecrã vai consumir mais energia, mas não há razão técnica para limitar artificialmente um produto. É absolutamente nefasto constatar este tipo de práticas comerciais em pleno 2022 num produto facilmente recomendável em Portugal, à venda na Amazon.ES desde 459 €.

Have you met #Pixel6a?🔒 Fast and secure with Google Tensor and Titan M2📸 Take better photos with Magic Eraser, Night Sight & Real Tone🔋Lasts up to 72 hours with Extreme Battery Saver*—all starting at $449.Order yours from the Google Store today: https://t.co/Nx9ssvJSiu pic.twitter.com/KQjwNhrTVH

— Made By Google (@madebygoogle) 28 de julho de 2022

Editores 4gnews recomendam:

Rui Bacelar
Rui Bacelar
Na escrita e comunicação repousa o gosto, nas leis a formação. Ocupa-se com as novidades de tecnologia na 4gnews. Email: ruifbacelar@gmail.com