Google Pixel 3 Lite não seria má ideia, mas não vai acontecer!

Filipe Alves

Microsoft permite o desenvolvimento de aplicações ARM para Windows 10

Ainda que um Google Pixel 3 Lite faça todo o sentido de forma a atacar mercados onde a marca não está presente, um modelo "lite" trai tudo o que a empresa americana tem vindo a trabalhar.

Google Pixel 3 Lite não passa de um sonho

Ou seja, os equipamentos da marca são gama-alta de forma a competir com os tubarões do mercado. São gama-altas para mostrar aos fabricantes como é que um topo de gama se deve comportar. Embora as conhecidas falhas de hardware e software dos Pixel 3 sejam conhecidas, os smartphones são aquilo que todos os Android deveriam ser. Com um sistema limpo e atualizações a tempo e horas.

Introduzir um Google Pixel 3 Lite seria apostar num mercado saturado onde as marcas que dominam estão a fazer bem. A Huawei, Xiaomi ou até a Samsung e Nokia estão a conseguir fazer do mercado de gama-média entusiasmantes de novo. O Mi A2 dá-nos Android One, o software da Google e todos os smartphones da Nokia seguem o mesmo caminho.

Embora a Huawei e Samsung tentem os seus softwares, a verdade é que não há espaço para uma Google tentar entrar num mercado tão competitivo quanto este. Ou seja, se nos gama-alta a Google pode dizer "estes são os Android mais puros que podes ter", nos gama-média a história é outra.

Além disso, quando é que a empresa de Mountain View apresentaria o smartphone? Antes do Natal parece que já é tarde e depois do Natal já não vale a pena. Pelo menos até ao próximo ano e aos próximos Pixel.

Em suma, por muito que fixasse entusiasmado ao ver um suposto Google Pixel 3 Lite não o consigo olhar de forma séria. Quem sabe para o ano

Editores 4gnews recomendam:

Youtube começa a oferecer stream de filmes grátis

Nokia 9 PureView: Capas atestam design do smartphone da HMD Global

Samsung Galaxy Note 10: Primeiros rumores sobre o smartphone

Via

Filipe Alves
Filipe Alves
Fundador do projeto 4gnews e desde cedo apaixonado pela tecnologia. A trabalhar na área desde 2009 com passagens pela MEO, Fnac e CarphoneWarehouse (UK). Foi aí que ganhou a experiência que necessitava para entender as necessidades tecnológicas dos utilizadores.