MP3
O formato MP3 começará, gradualmente, a desaparecer

“Quis saber quem sou, o que faço aqui, quem me abandonou”, como diz Paulo de Carvalho na sua canção “E depois do adeus”, está na hora de nos despedir-mos do formato MP3. Quem o diz é o Instituto Fraunhofer de Circuitos Integrados, a entidade alemã, responsável pela criação do MP3 e que agora anunciou oficialmente o fim do licenciamento de patentes para este sua tecnologia. Na prática, eis o que significa:

O suporte para o formato MP3 começará a desaparecer da lista de características dos próximos dispositivos. Smartphones, Tablets, no futuro não serão capazes de utilizar estes ficheiros. A pouco e pouco o formato MP3 será substituído por novas técnicas de codificação e compactação de áudio. Existirão cada vez menos ficheiros MP3 mas, em compensação, teremos ficheiros com melhor qualidade.

Sabes o que significa MP3?

O MP3 foi um dos primeiros tipos ou formatos de compressão de áudio cujas perdas de qualidade são quase imperceptíveis (para um ouvido não treinado). Temos várias taxas de bits (quanto mais alta for, melhor), desde os 128kbps a taxa-padrão. Aqui, por exemplo a redução do tamanho da gravação original é de cerca de 90%, ou seja, o tamanho do ficheiro passa a ser 1/10 do tamanho original. Por outro lado, a taxa máxima é de 320 kbps, mantendo-se mais detalhes do áudio mas gerando arquivos consideravelmente maiores.

   

Vê ainda: Duas semanas com Spotify Premium e Netflix

Portanto, já no próximo natal, em vez de pedires um leitor de MP3 aos teus pais, mais vale pedir um leitor de FLAC ou AAC. Eu sei, a minha veia de elitista já se faz notar mas nunca fui fã do formato MP3. Apesar de ser extremamente popular, sacrifica em demasia a qualidade de áudio, sobretudo no MP3 a 128kbs ou até na taxa máxima de 320kb’s, há muita alma que fica separada da música.

Quando este formato surgiu pela primeira vez ainda estávamos a rebobinar as cassetes com auxílio de uma caneta BIC. Ou então a acumular CD’s em nossa casa. O MP3 trouxe-nos liberdade, conveniência e a possibilidade de guardar milhares ou mesmo milhões de músicas nos nossos computadores ou nos práticos e portáteis leitores. Este gadget popularizou-se em meados dos anos 2000 e ainda hoje os encontrarás à venda.

MP3
Os iPod’s foram os “players” mais populares

Confesso que tive uns quantos durante a minha juventude e, na altura, eram tão ou mais importantes do que o telemóvel em si. Agora, os nossos smartphones servem de leitores de MP3, ou de FLAC para os verdadeiros apreciadores, área onde os LG de gama alta merecem uma nota particularmente positiva.

Qual o sucessor do MP3?

Faz apenas sentido que o formato MP3 seja colocado na prateleira, junto de tantos outros gadgets que marcaram uma era. Desde o Walkman ao Discman, se tiveste algum destes equipamentos é sinal que, como eu, já fomos mais novos. Faz parte, contudo, que a tecnologia continue a evoluir e já estava na hora de dar a reforma a este formato.

Já existem imensos formatos, até agora pouco divulgados, como o AAC que consegue reter mais detalhes da música e sem aumentar consideravelmente o tamanho dos arquivos. Aliás, este já é o formato mais utilizado por uma das maiores distribuidoras de música online, a Apple Music e consegue criar ficheiros menores mas com mais qualidade do que o típico MP3.

Contudo, os novos codecs de áudio quase equiparam o MP3 ao AAC, portanto entre um e outro as diferenças já não são tão notórias a não ser que tenhas um ouvido treinado.

Mais ainda, dado o crescente volume de utilizadores de serviços de streaming como o Spotify ou o Apple Music fizeram com que o volume de downloads de música diminuísse consideravelmente. Hoje em dia é muito mais cómodo recorrer a estes serviços do que encher o nosso computador ou smartphone com todas as nossas Listas de Reprodução ou músicas favoritas.

Portanto, será que o MP3 vai mesmo desaparecer? Pelo menos num futuro próximo duvido que tal aconteça. Pode até tornar-se mais popular agora que deixará de estar acorrentado pela patente. O MP3 não deixa de ser uma tecnologia antiga e pouco eficiente mas, neste momento praticamente todos os nossos dispositivos possuem suporte para este formato. Portanto até que renovemos por completo todos os nossos dispositivos (e estes deixem de suportar o MP3), não deixarás de poder ouvir todas as tuas músicas, novas ou antigas.

Contudo, para os verdadeiros apreciadores de música, poucos formatos conseguem superar o FLAC. É o mais próximo que temos de assistir ao vivo a um concerto sem estar lá. Fica a dica!

Outros temas relevantes:

Este é o HTC U11! Leak completo um dia antes da sua apresentação (vídeo)

Motorola: imagem revela as diferenças entre Moto Z2 e Moto Z2 Play

Huawei Y3 2017: Este é o novo gama de entrada da Huawei