Este é o E-Reader da Xiaomi e as suas especificações! Vais (garantidamente) gostar!

Filipe Alves
2 comentários

Tivemos a informação que a Xiaomi ia lançar um E-Reader na semana passada. Hoje temos os detalhes do produto que chegará de forma oficial já no próximo dia 20.

Segundo as informações, o pequeno gadget chegará com o preço de 76€ na China, ou seja, é provável que chegue aos típicos websites oriundos da China que importam para Portugal por pouco mais.

Xiaomi E-Reader

Algo que ainda não sabemos é o seu Interface. Acredito que a Xiaomi revele um produto que não tenha só e apenas a língua chinesa. Até porque não deve ser muito complicado colocar outras línguas no dispotivo visto que chega com Android.

Características do E-Reader da Xiaomi

  • Ecrã E-Ink
  • Densidade de pixels 212ppi
  • LED embutido para leitura em locais escuros
  • LED programável com intensidade de luz
  • Android 8.1
  • Processador AllWinner a correr 1.8GHz
  • Memória RAM de 1GB
  • Memória interna de 16GB
  • Consegue ler ebooks, PDFs, ficheiros de texto e comics
  • Bateria de 1800mAh (várias semanas de uso sem carregamento)
  • 178g de peso

Visto que traz o sistema Android, certamente adaptado ao produto, a facilidade de colocar ficheiros dentro do dispositivo não deverá ser um problema.

Xiaomi E-Reader

Ademais, a facilidade de ler qualquer tipo de ficheiro também ajudará. Ou seja, se tiveres um livro em PDF poderás utilizar o E-Reader da Xiaomi sem problema algum. Perfeito para estudantes!

Em suma, este é o primeiro ataque ao Kindle da Amazon. O mercado de E-Readers não é enorme, porém, é relevante. Cada vez mais as pessoas tem olhado para este tipo de livro em vez dos "tradicionais". Neste tipo de produto poderás andar com uma pequena biblioteca na mochila sem que para isso andes com uma carrada de livros atrás.

Editores 4gnews recomendam:

2 comentários
Filipe Alves
Filipe Alves
Fundador do projeto 4gnews e desde cedo apaixonado pela tecnologia. A trabalhar na área desde 2009 com passagens pela MEO, Fnac e CarphoneWarehouse (UK). Foi aí que ganhou a experiência que necessitava para entender as necessidades tecnológicas dos utilizadores.