Estados Unidos vão começar a oficializar licenças para a Huawei comprar tecnologia americana

António Guimarães
Comentar

O Departamento do Comércio dos Estados Unidos vai finalmente dar o primeiro passo na 'libertação' da Huawei. Foi anunciado que serão emitidas licenças especiais a empresas americanas que queiram continuar a fazer negócio com a gigante de Shenzhen.

Este é um passo muito importante após Donald Trump ter mencionado na cimeira G20 que a Huawei poderia voltar a comprar tecnologia às empresas americanas. A cimeira teve como assunto principal os termos de comércio entre os EUA e a China.

Embora não tenha ficado claro se a disputa entre as super potências ficou resolvida, a situação parece ter suavizado para o lado da Huawei. A empresa entretanto viu-se obrigada a iniciar os seus planos para criar o próprio sistema operativo, que parece que ainda vai ser uma realidade, independentemente da decisão dos Estados Unidos.

Estas licenças 'especiais' não fazem com que tudo volte ao normal

É importante salientar que o Departamento de Comércio vai emitir estas licenças, autorizando a Huawei a comprar equipamentos a empresas americanas que não sejam considerados 'sensíveis'.

O Departamento de Comércio não especificou que tipo de equipamentos é que consideram sensíveis mas estarão provavelmente a referir-se a infraestruturas de telecomunicações. O chefe do departamento, Wilbur Ross, salientou ainda que estas licenças serão atribuídas após análise de risco de segurança nacional.

Seja como for, apesar das aparentes limitações, certamente é uma situação melhor para a Huawei. Toda esta controvérsia prejudicou o negócio da empresa chinesa em vendas, com uma descida estimada em 40%, para o ano de 2019.

Editores 4gnews recomendam:

Comentar
António Guimarães
António Guimarães
Juntamente com os seus atuais companheiros Mi A2 e Surface Go, batalha para elucidar as massas sobre todos os acontecimentos da esfera tecnológica. "Informação é poder" é a frase que o acompanha diariamente. Talvez um dia a coloque numa t-shirt.