Esta região de Portugal terá cobertura integral de fibra ótica da MEO até ao final de 2022

Bruno Coelho
Comentar

Há novidades sobre a cobertura da Altice Portugal, dona da MEO, na Região Autónoma da Madeira. Numa visita liderada pela Presidente Executiva, Ana Figueiredo, a Altice Portugal regressou à região para contactos com o Governo Regional e momentos em que reforçou o seu compromisso com a Madeira nas áreas da tecnologia, inovação e cultura.

Região Autónoma da Madeira terá 100% de cobertura de fibra ótica até ao final do ano

Segundo o mais recente comunicado, a Região Autónoma da Madeira terá 100% de cobertura de fibra ótica até ao final de 2022. Algo que faz da região o território com a mais alta cobertura de fibra ótica em Portugal.

Ana Figueiredo, Presidente Executiva da Altice
Ana Figueiredo, Presidente Executiva da Altice Portugal

De realçar ainda o investimento na rede móvel. As Ilhas da Madeira e do Porto Santo têm uma cobertura da população de quase 100% na rede 4G e de 50% na nova rede 5G, segundo a operadora.

Madeira terá 5G a cobrir 80% da população até ao final de 2022

Destaca-se que o Funchal dos primeiros pilotos das redes móveis de nova geração, e tem atualmente 19 estações móveis 5G. Até ao final do ano é de esperar mais 15 estações, que garantirão cobertura de 5G a 80% da população.

“A Altice Portugal tem realizado um forte investimento, nos últimos anos, para dotar o arquipélago de todas as infraestruturas que permitam atrair investimento e contribuir para o desenvolvimento económico e social da Madeira, nomeadamente na vertente do turismo”, afirma Ana Figueiredo, Presidente Executiva da Altice.

Segundo a Altice Portugal, o investimento em infraestruturas tem sido contínuo. Só em 2022-2023 este valor cifra-se em 10 milhões de euros, reforçando a posição da Madeira no acesso a redes de nova geração.

Editores 4gnews recomendam:

Bruno Coelho
Bruno Coelho
Vive entre a paixão pela escrita, a música e a tecnologia. Licenciou-se em Ciências da Comunicação na Universidade da Beira Interior em 2015, e fez parte da equipa que fundou o Jornal de Belmonte. Produziu vários podcasts independentes pelo caminho. Come especificações ao pequeno-almoço.