Esquece este Samsung se queres boa autonomia no smartphone

Bruno Coelho
Comentar

Uma das maiores preocupações dos utilizadores quando compram um smartphone é se a autonomia do mesmo será de qualidade. Numa altura em que muitos ostentam 5000 mAh, nem sempre esses números contam a história toda.

É o caso do mais recente Samsung Galaxy A33 5G. O smartphone passou pelos rigorosos testes de bateria da DxOMark e recebeu uns modestos 60 pontos. Isto confere um 56.º lugar no ranking global, empatando com o Galaxy S22 Ultra e com apenas mais um ponto que o iPhone 12 mini (59).

Samsung
Pontuação de bateria do Samsung Galaxy A33 5G na DxOMark

Segundo a DxOMark, o Galaxy A33 5G sofreu na maioria dos testes de bateria, ficando abaixo da média de todos os equipamentos já testados. Revela eficiência geral pobre, devido à alta descarga e baixa eficiência de carregamento.

A autonomia em uso moderado revelou-se baixa, ficando abaixo dos dois dias. Revelou dificuldades de autonomia em redes sociais, reprodução de música ou jogos no modo calibrado. Face aos principais concorrentes de preço, fica atrás.

Pontos fortes da bateria do Galaxy A33 5G

  • Boa autonomia na transmissão de vídeos
  • Boa autonomia ao usar a câmara em movimento

Pontos fracos da bateria do Galaxy A33 5G

  • Menos de 2 dias de autonomia em uso moderado
  • Autonomia muito baixa ao usar apps de redes sociais em movimento
  • Baixo ganho de autonomia após carga de 5 minutos
  • Descarga muito alta durante streaming de música e jogos

Recorde-se que o Samsung Galaxy A33 5G chegou ao mercado com bateria de 5000 mAh de capacidade e carregamento de 25 W (carregador não incluído na caixa). Tem um processador Exynos 1280 e ecrã AMOLED de 6,4 polegadas, com resolução Full HD+ e taxa de atualização de 90 Hz.

Consulta o artigo completo para saberes tudo sobre os testes da DxOMArk à bateria do Samsung Galaxy A33 5G.

Editores 4gnews recomendam:

Bruno Coelho
Bruno Coelho
Vive entre a paixão pela escrita, a música e a tecnologia. Licenciou-se em Ciências da Comunicação na Universidade da Beira Interior em 2015, e fez parte da equipa que fundou o Jornal de Belmonte. Produziu vários podcasts independentes pelo caminho. Come especificações ao pequeno-almoço.