Dia 30 de junho vai ter mais 1 segundo, mas e as consequências?

Carlos Oliveira

relogios

Provavelmente já deves ter ouvido falar que no dia 30 de junho vai ter mais 1 segundo e que seria o dia mais longo do ano, isto vai acontecer pois o último minuto desta data contará com um segundo a mais, algo que é necessário para que os relógios que coordenam a hora a nível mundial estejam sincronizados com a rotação correta da Terra.

Mas será que este segundo a mais poderá causar alguma consequência sem ser a da alteração da hora ? é claro que sim pois alguns computadores e outros aparelhos electrónicos sincronizados com relógios atómicos e oficiais podem realmente passar por alguns problemas durante a mudança (relógios atómicos são aqueles que são usados para o controlo da hora mediante a rotação da Terra).

E as possíveis consequências, os relógios como todos sabemos comportam-se assim:

2015-06-30 23.59.57 2015-06-30 23.59.58 2015-06-30 23.59.59 2015-06-30 23.59.60 <– Segundo que vai ser acrescentado 2015-07-01 00.00.00 2015-07-01 00.00.01 2015-07-01 00.00.02

Como os relógios vão marcar 23:59:60 nesta data, alguns computadores podem "perder-se" e precisar de reinicializações. Normalmente quando isso acontece com servidores grande, é bem possível que vários sites fiquem fora do ar durante alguns minutos ou até mesmo algumas horas, até que tudo seja normalizado novamente. Em 2012 (última vez em que isso aconteceu), sistemas inteiros de Foursquare e LinkedIn, por exemplo, ficaram instáveis durante algumas horas.

Diversas empresas já se então a prevenir para este acontecimento, de acordo com o The Next Web, a Google e a Amazon têm adicionado milissegundos nas últimas semanas para que os servidores não sentissem diferenças bruscas na altura da mudança e precisaram de reinicializações. Apesar de todas essas previsões, há muitos resultados que só saberemos na prática, e será que o teu PC ai desse lado vai travar totalmente ou vai passar completamente ileso pelo segundo extra?

Talvez queiras ver:

Carlos Oliveira
Carlos Oliveira
Tendo já passado por várias casas, a 4gnews é aquela que me segura desde 2015. Com um desejo insaciável de me manter atualizado tecnologicamente, a partilha desse conhecimento é apenas o seguimento natural das coisas.