Cemitério da Google. Website mostra todos os produtos abandonados pela empresa

Filipe Alves

Quantos foram os projetos da Google que dizemos que foram abandonados nos últimos tempos? Temos o Google+ que está em processo de abandono, temos o hangouts, Allo, ou até o muito falado Project Ara já uns tempos.

O Projetct Ara e os Google Glasses são provavelmente os produtos que mais me deixaram pena o seu abandono. Ambos prometiam uma tecnologia fora do normal e totalmente inovadora mas que acabaram por morrer na praia. O Project Ara prometia um smartphone modular e os óculos uma realidade extra para a nossa vida.

Google glasses

Este website "KilledbyGoogle" mostra-nos todos os projetos eliminados por parte da empresa de Mountain View. Temos projetos que todos conhecem, como os que referi acima, ou projetos e serviços que nunca ouvimos falar.

Google não investe em algo que não dá

A empresa americana não tem medo de matar um projeto. Com o total de 162 projetos abandonados, a gigante americana sabe que nem todas as ideias devem ser executadas. Sabe também que nem todas as aplicações e serviços são para sempre. Por isso é que gosto da ideologia. Investir naquilo que dá e não perder recursos em projetos e serviços que ninguém usa.

Killed by Google

Os smartphones Pixel podem estar no caminho do cemitério

Os smartphones são um investimento recente por parte da Google. Os Pixel até tiveram um sucesso prometedor no seu lançamento, contudo, aos poucos vemos cada vez menos vendas.

Primeiramente porque a Google insiste em não levar os seus Pixel para todos os mercados e depois pela sua falta de design. Por muito que os Pixel sejam smartphones de qualidade estão longe de ter as mesmas linhas modernas dos concorrentes.

Esperemos sinceramente que o próximo Pixel 4 mude um pouco o paradigma da empresa. Precisamos de produtos inovadores. A Google já oferece do melhor que há a nível de software, só nos falta do hardware para acompanhar.

Editores 4gnews recomendam:

Filipe Alves
Filipe Alves
Fundador do projeto 4gnews e desde cedo apaixonado pela tecnologia. A trabalhar na área desde 2009 com passagens pela MEO, Fnac e CarphoneWarehouse (UK). Foi aí que ganhou a experiência que necessitava para entender as necessidades tecnológicas dos utilizadores.