Apple verá parte da sua produção sair da China para o Vietname

Rui Bacelar
Comentar

A deslocação afetará sobretudo a produção de alguns modelos de Apple iPad e MacBook, saindo estas cadeias de produção da China para o Vietname. A decisão foi anunciada esta sexta-feira pela Foxconn em exclusivo à agência Reuters.

Visando minimizar o risco de um agravar das tensões entre a China e os Estados Unidos da América, a responsável pela produção dos produtos Apple vai deslocar parte das suas infraestruturas, de acordo com um responsável da fabricante.

As últimas ações da administração Trump

Esta decisão da Foxconn vem no encalço do forte incentivo da administração Trump para que as empresas norte-americanas saiam da China, negando à nação comunista os proveitos da produção de grande parte dos produtos tecnológicos de consumo.

Recordamos que durante a atual administração, a Casa Branca endureceu as tarifas impostas de importação a produtos chineses, além de colocar severas restrições no fornecimento de componentes que utilizam tecnologia norte-americana a empresas chinesas.

Sustentando-se no risco para a segurança nacional dos Estados Unidos, o executivo hostilizou as empresas chinesas. De igual modo, instou os principais aliados da potência norte-americana a seguir o seu exemplo, sendo em grande parte bem-sucedido.

Foxconn deslocará parte da produção da Apple para o Vietname

Perante este clima de tensão entre os Estados Unidos e China, a Foxconn é a mais recente fabricante a deslocar pelo menos parte da sua produção para outra nação. Entre os países preferidos conta-se o México, Índia e, neste caso, o Vietname.

Segundo a fonte supracitada, a Foxconn já constrói novas linhas de produção no Vietname, visando acolher a produção dos Apple iPad, o tablet da gigante de Cupertino e os seus MacBook. As instalações entrarão em operação na primeira metade de 2021.

Ao mesmo tempo, a produção na China será reduzida e, em alguns setores, cortada. Por outro lado, a fonte que preferiu manter-se anónima, não especificou nenhuma métrica que torne possível a avaliação do impacto desta mudança.

A mudança veio a pedido da Apple

A gigante de Cupertino quererá diversificar a produção, precavendo um possível agravamento das tensões entre a China e os Estados Unidos da América. Desse modo, caso tal aconteça, a produção dos produtos Apple não será tão afetada.

Ainda de acordo com a fonte em questão, a medida assume sobretudo um cariz preventivo. Por outras palavras, a Apple quer assegurar que os seus iPhone, iPad e demais produtos continuam a ser fabricados, independentemente das tramas políticas.

Também a pedido da Apple, a Foxconn decidiu não aprofundar o tema, nem revelar dados que possam comprometer a sua cliente.

Editores 4gnews recomendam:

  • Black Friday 2020: os melhores descontos de tecnologia em Portugal
  • Parlamento Europeu aprova o "direito a reparar" na Europa
  • ZTE lança um clone do Amazfit GTS! Por apenas €30, não encontras melhor
Rui Bacelar
Rui Bacelar
Na escrita e comunicação repousa o gosto, nas leis a formação. É na tecnologia que encontrou o seu expoente máximo e na 4gnews a plataforma ideal para a redação e produção de vídeo.