Apple Tim Cook
Crédito: wired
Tim Cook, CEO da Apple

A Apple é a empresa que mais lucrou em 2016 com a venda de smartphones. Esta revelação, apesar de pouco surpreendente, deixa-nos perplexos quando analisamos e comparamos os números obtidos pela gigante de Cupertino face à sua maior rival, Samsung. A surpresa reside, sim, nos lucros magros de todas as restantes construtoras.

Em 2016 a Apple arrecadou 79.2% de todos os lucros gerados pelo mercado mundial de smartphones. Estes dados foram apurados pela agência Strategy Analytics e reportados pelo Korean Herald. O impressionante “toque de Midas” de Tim Cook reside na sua hábil capacidade de reduzir os custos de produção e aumentar os preços de venda dos seus iPhones.

   

A Apple, dona e rainha do mercado Móvel

Apple
Apple iPhone 7

Durante o passado ano de 2016 o mercado Móvel terá gerado um total de 53.7 mil milhões de dólares em lucros operacionais. Deste “bolo” a Apple representa a “fatia de leão”, sendo responsável por 44.9 mil milhões de dólares deste total de 53.7 mil milhões.

Não deixa de ser abismal o poder da Apple, face às mil e uma construtoras presentes neste mercado Móvel, a gigante de Cupertino domina com praticamente 80% de todos os lucros gerados em 2016.

Apple regista lucros 5x superiores à Samsung em 2016

Dos cerca de 10 mil milhões de dólares restantes, a Samsung arrecadou um total de 8.3 mil milhões de dólares. Não fosse o desaire do Samsung Galaxy Note 7 e estes números poderiam perfeitamente ascender aos 10 mil milhões. Seja como for, a Apple arrecadaria mais de 4x em lucros do que a sua principal rival, Samsung.

Depois da Samsung temos a Huawei, em terceiro lugar, com 1.6% dos lucros obtidos e mais duas marcas chinesas em quarto e quinto lugar, a Oppo e a Vivo, respetivamente, com 1.5% e 1.3%. Ora, onde para a Sony, a LG, a HTC, a Motorola e outros nomes notáveis? De facto é uma boa questão…
A Apple não precisa, necessariamente, de inovar ano após ano. Os consumidores procuram equipamentos estáveis, que já conheçam, que lhes inspirem confiança, com novas cores e uma mão cheia de melhorias, não muitas, apenas as essenciais.

Vê também: Apple registou a maior fatia do lucro no mercado mobile em 2016

Em suma, o “toque de Midas” de Tim Cook vai muito além da sua perícia enquanto mero gestor. Reside sim, na sua capacidade de ler as necessidades dos consumidores, entendendo o seu natural e humano receio de grandes mudanças que impliquem um período de habituação ou de uma quebra nas suas rotinas.

O iPhone tornou-se o smartphone padrão pela sua simplicidade e absoluta eficácia. Tim Cook sabe-o e este conhecimento dá-lhe o poder e autoridade para, ano após ano, aumentar as suas margens de lucro.

O Futuro da Apple

Em 2017 assistiremos, em setembro próximo, ao lançamento da nova geração de Apple iPhone’s. Teremos pelo menos os iPhone 7s e iPhone 7s Plus e não descarto a possibilidade de vermos um Apple iPhone 8, uma edição comemorativa dos 10 anos sobre o lançamento do primeiro smartphone da Apple.

Este ano também teremos o lançamento de novos computadores, novos iMac e um novo Mac Pro (o original data de 2013 e já está seriamente ultrapassado, apesar do seu preço se manter igual durante todos estes anos. Contudo, o foco da Apple são os smartphones, é aí que está a grande margem de lucro e Tim Cook sabe disso.

O mais irónico de tudo é o facto de o mercado Móvel ser cada vez mais exigente. Temos smartphones com características e especificações técnicas impressionantes como o LG G6, o Xiaomi Mi Mix ou o futuro Galaxy S8. Todos eles fantásticos, inovadores e até revolucionários aos olhos dos entusiastas de tecnologia e seguidores atento do mercado Móvel. Mas, e a restante população? A esmagadora maioria, quem é que se importa?

Outros assuntos relevantes:

OnePlus 4: O silêncio do autor do wallpaper dá-nos esperança

Nokia 8: topo de gama de marca poderá chegar em junho

Agora sim! Asus Zenfone 3 já está a receber o Android Nougat

Viaphonearena
Fontekoreaherald

Quando não está a escrever um artigo ou a gravar algum vídeo, o Bacelar tem por hábito saborear um bom livro, descobrir novas bandas sonoras ou simplesmente desfrutar do sol, na companhia de quem mais gosta (MM).