Apple admite ter excesso de trabalhadores temporários nas linhas de produção

António Guimarães
Comentar

Após uma investigação da associação defensora dos direitos dos trabalhadores chineses (China Labor Watch), a Apple e a sua parceira de produção Foxconn viram-se obrigadas a admitir uma verdade inconveniente: existem demasiados trabalhadores temporários nas linhas de produção de iPhones.

No relatório de investigação, a China Labor Watch acusou a Apple de "lucrar com a exploração dos trabalhadores chineses". Estes comentários também são alimentados pela guerra comercial entre os Estados Unidos e a China, que também afeta trabalhadores.

A Apple respondeu às acusações, tendo que admitir o sucedido. "Após investigação, verificámos que a contratação de trabalhadores temporários excedeu os nossos padrões. Estamos a resolver a questão juntamente com a Foxconn", afirma a empresa americana.

apple foxconn
Trabalhadores na fábrica da Foxconn, em Zhengzhou

Metade dos trabalhadores em agosto eram temporários, confirma CLW

Na fábrica da Foxconn em Zhengzhou, cerca de 50% dos trabalhadores ativos eram temporários, sem contratos fixos. Isto ocorreu durante agosto, quando a Apple aumentou a produção em preparação do lançamento dos novos iPhones.

De acordo com a lei de trabalho chinesa, a equipa de produção pode ter, no máximo, 10% de trabalhadores temporários. Como é óbvio, a Apple e Foxconn abusaram da sorte. As empresas colocaram demasiada pressão e dependência em trabalhadores temporários, que podem facilmente ser dispensados durante alturas menos produtivas.

500 mil iPhones podem ser produzidos num dia

A fábrica de Zhengzhou consegue produzir equipamentos a um ritmo alucinante. De acordo com o New York Times, dependendo das alturas do ano, a fábrica pode chegar aos 500 mil iPhones produzidos por dia, o que dá cerca de 350 por minuto. Adicionalmente, a fábrica tem capacidade para contratar até 350 mil trabalhadores, que ganham cerca de 1.90$ por hora.

Editores 4gnews recomendam:

Comentar
António Guimarães
António Guimarães
Juntamente com os seus atuais companheiros Mi A2 e Surface Go, batalha para elucidar as massas sobre todos os acontecimentos da esfera tecnológica. "Informação é poder" é a frase que o acompanha diariamente. Talvez um dia a coloque numa t-shirt.