2022 traz más notícias para o mercado de tablets Android e Apple

Rui Bacelar
Comentar

A pandemia da COVID-19 obrigou milhões de pessoas a adaptar os seus hábitos de trabalho a novas rotinas de teletrabalho. Assim, compreende-se que a procura por computadores portáteis e tablets Android e iOS / iPadOS tenha aumentado substancialmente entre os anos de 2020 e 2021. Foi, como o coloca a agência IDC, um período áureo para o mercado dos tablets.

Após dois anos de excelência, com aumento significativo do volume de vendas e novos modelos a chegar rapidamente ao mercado para dar resposta às necessidades emergentes, o ritmo está a abrandar. Assim o aponta a agência de análise de mercado IDC no seu mais recente relatório do primeiro trimestre de 2022.

Queda significativa nas vendas durante o 1.º trimestre de 2022

IDC tablets

O relatório em questão foi publicado recentemente pela IDC aponta que o volume de unidades vendidas durante o primeiro trimestre de 2022 ascendeu às 38,4 milhões de unidades. É, assim, uma contração de 3,9% face ao valor registado no período homólogo de 2021. Ou seja, uma diminuição significativa face ao primeiro trimestre do ano passado.

Com a situação pandémica mais controlada, ou pelo menos enraizada nas nossas vidas, os hábitos dos consumidores voltam também a recuperar os padrões de 2019 com reflexo nas opções de compra. Assim, vemos também um declínio na compra de computadores portáteis como os ChromeBook face aos valores registados nos últimos dois anos.

Mercado recupera hábitos e padrões pré-pandémicos

Tablets

Em particular os Chromebooks mostram-se entre os tipos de computadores portáteis mais afetados pelo "retomar" do mercado. De acordo com o relatório da IDC este tipo de computadores registou uma quebra de 61,9% no volume de vendas neste primeiro trimestre de 2022 face ao período homólogo de 2021.

Em suma, o mercado global contraiu em regiões como a Ásia e Pacífico por motivos de saturação de mercado, excluindo aqui a China e o Japão, mercados onde existiram sinais notórios de crescimento.

Por outro lado, o relatório da IDC aponta ainda que fabricantes como a Realme, OPPO e a Xiaomi entraram neste segmento de produtos com novas apostas. Todavia, os seus esforços não foram suficientes para alavançar o mercado.

Por fim, é a Apple quem continua a dominar o segmento dos tablets com 31,5% de quota de mercado e mais de 12 milhões de unidades vendidas no trimestre em apreço.

Editores 4gnews recomendam:

Rui Bacelar
Rui Bacelar
Na escrita e comunicação repousa o gosto, nas leis a formação. Ocupa-se com as novidades de tecnologia na 4gnews. Email: ruifbacelar@gmail.com