facebook messenger
A frase “Facebook Messenger, porque existes?”  ainda me ocorre uma mão cheia de vezes por dia e certamente não sou caso único, tanto é que o Sr. Zuckberg publicou um comentário justificativo relativamente a este Messenger.

Decorridos alguns meses desde que o Facebook decidiu separar o seu serviço de mensagens para uma aplicação autónoma e prontamente nos forçou a descarrega-la para assim podermos usufruir das mensagens via plataforma móvel, poucos de nós terão esquecido esta imposição.

Mas quem pode manda e apesar da controvérsia e alguma insatisfação generalizada, o Facebook Messenger veio para ficar, habituem-se porque, segundo Mark Zuckerberg, nós precisamos de uma aplicação dedicada para usufruir de todos os outros conteúdos do Facebook.

   

Em suma, Zuckerberg fundamentou esta decisão com o facto de que num smartphone aquilo que mais fazemos é comunicar, enviar mensagens, mais do que irFacebook-Bicycles ao Facebook e, por isso mesmo, é necessária uma aplicação que se foque nisso mesmo, na troca de mensagens. Segue-se a declaração de Zuckerberg no seguimento de uma sessão de perguntas e respostas.

“Agradeço-vos pelas perguntas difíceis. Mantém-nos honestos. Precisamos de explicar claramente porque é que aquilo que temos em mente é bom. Pedir a toda uma comunidade para instalar uma nova aplicação é uma grande tarefa. Eu reconheço que isso foi trabalhoso e implicou alguma fricção. Nós quisemos fazer isto porque acreditamos que esta é uma experiência mais gratificante.

A troca de mensagens está a tornar-se cada vez mais importante. Num dispositivo móvel, cada aplicação só consegue fazer uma coisa bem, cada uma tem o seu âmbito, o seu objectivo, é nisso que acreditamos. O propósito da aplicação Facebook é o feed de notícias, o fórum social. A troca de mensagens é um comportamento cada vez mais popular, 10 biliões de mensagens são enviadas todos os dias mas para que conseguisses chegar às mensagens tinhas que abrir a aplicação Facebook, esperar que ela abrisse e depois ir até ao respectivo separador.

Nós apercebemo-nos que os serviços de mensagens mais usados eram as próprias aplicações de cada um. Estas aplicações que são rápidas e apenas se focam na troca de mensagens. Provavelmente tu mandas mais de 15 mensagens por dia. Imagina só, ter que entrar numa aplicação e passar por uma série de passos intermédios para chegar onde queres?

O envio de mensagens é uma das poucas coisas que supera as redes sociais. Em alguns países, 85% das pessoas estão no Facebook, mas 95% destas pessoas usam SMS ou outro serviço de mensagens. Pedir a toda esta gente para instalar outra aplicação seria doloroso mas se queríamos focar-nos no envio de mensagens, bem, tivemos que criar uma aplicação dedicada e com uma experiência única. Construímos a pensar em toda a comunidade.

Porque é que não deixamos as pessoas escolher se queriam ou quando queriam instalar o Facebook Messenger? Porque estamos a tentar construir um serviço que sejam bom para todos. Porque o Facebook Messenger é mais rápido e mais focado na troca de mensagens, se o estás a usar, respondes às mensagens mais rapidamente, essa foi a conclusão a que chegamos. Se os teus amigos são lentos a responder, bem ainda não conseguimos atingir o nosso objectivo.

Estas são algumas das escolhas mais difíceis que temos de tomar. Percebemos que temos muito a ganhar em termos de confiança e além disso, temos muito a provar enquanto aplicação independente de troca de mensagens. Temos alguns dos nossos maiores talentos a trabalhar nisto.”

O que acham desta justificação? Terá o senhor Zuckerberg razão em última análise? Poderá isto perdoar a imposição de toda uma nova aplicação? Deixem as vossas opiniões relativamente a este Facebook Messenger.

Talvez queiras ver:

Deixa a tua opinião nos comentários, um Like na página do Facebook  e Subscreve o canal no Youtube .

Quando não está a escrever um artigo ou a gravar algum vídeo, o Bacelar tem por hábito saborear um bom livro, descobrir novas bandas sonoras ou simplesmente desfrutar do sol, na companhia de quem mais gosta (MM).