YouTube implementa medidas para travar comunidade de abuso infantil

António Guimarães

Parece que o o Youtube está a ser utilizado por comunidades escondidas de abuso infantil. Cerca de 400 canais foram apagados na sequência desta situação.

Sabemos que o Youtube tem políticas bastante agressivas contra vídeos que possam sugerir a violação de direitos humanos. Nos últimos tempos temos visto uma maior sensibilidade por parte da plataforma.

Afinal, o Youtube já não é só um site de partilha de vídeos. É uma plataforma que recebe centenas de vídeos a toda a hora. Estima-se que cerca de 65 anos em vídeos são carregados todos os dias.

Comunidades de abuso infantil utilizam os comentários para se comunicarem

Em primeiro lugar, os vídeos em si não contém conteúdo exactamente impróprio, caso contrário seriam apagados de imediato. São vídeos caseiros "inocentes" que pais tipicamente publicam como crianças a fazer ginástica ou a cantar ao espelho.

No entanto, os comentários revelam uma natureza repulsiva. O utilizador Matt Watson mostrou num vídeo que o teor dos comentários nesses vídeos são de cariz ameaçador e abusivo. Alguns deles até apontam partes do vídeo onde as crianças estão em posições mais comprometedoras.

Adicionalmente, há comentários que são mesmo explícitos ou que providenciam links para conteúdos de abuso infantil. Watson também descobriu que devido a um "erro" no algoritmo do Youtube, os vídeos acabavam por se sugerir uns aos outros, como é normal em alguns temas como tecnologia ou gaming.

A verdade é que os comentários isoladas não quebram exactamente as regras. No entanto se olharmos para o contexto total verifica-se a existência de uma comunidade activa que se dedica a este tipo de actividades.

Nesse sentido, a utilização do Youtube ou da internet no geral para este tipo de propósitos é totalmente repulsiva. Um porta-voz do Youtube comunicou que medidas estão a ser aplicadas com efeitos imediatos. Centenas de canais e milhares de comentários estão a ser apagados num esforço para terminar estas actividades.

Em suma, não é só o Youtube que pode evitar isto. Pais e tutores devem ter a responsabilidade de não partilhar em público este tipo de conteúdos. Quantas vezes não vemos fotografias de crianças ou mesmo bebés de pais orgulhosos? Mais importante que partilhar o orgulho da paternidade é proteger as crianças destes perigos.

Editores 4gnews recomendam:

Nest Cam tem microfone secreto que a Google não mencionou

Reino Unido vai finalmente discutir privacidade com Zuckerberg

Primeiro smartphone gaming da iQOO chegará no dia 1 de março

António Guimarães
António Guimarães
Juntamente com os seus atuais companheiros Mi A2 e Surface Go, batalha para elucidar as massas sobre todos os acontecimentos da esfera tecnológica. "Informação é poder" é a frase que o acompanha diariamente. Talvez um dia a coloque numa t-shirt.